Apático, SPFC cede empate pro Vasco em atuação apagada

VASCO 1 X 1 SÃO PAULO
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 12 de novembro de 2017, domingo
Horário: 17h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e Mauricio Coelho Silva Penna (RS)
Cartões amarelos: Henrique e Caio Monteiro (Vasco); Edimar e Arboleda (São Paulo)
Cartão vermelho: Militão (São Paulo)
Gols: VASCO: Caio Monteiro, aos 31 minutos do segundo tempo; SÃO PAULO: Marcos Guilherme, aos 40 minutos do primeiro tempo
VASCO: Gabriel Félix; Madson, Lucas Rocha, Paulão e Henrique; Jean (Wagner), Gilberto (Evander), Yago Pikachu (Caio Monteiro), Nenê e Paulinho; Andrés Rios; Técnico: Zé Ricardo
SÃO PAULO: Sidão; Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros, Maicosuel (Lucas Fernandes), Hernanes e Marcos Guilherme (Aderllan); Lucas Pratto (Gilberto); Técnico: Dorival Júnior

 

  • ARBOLEDA, SIDÃO e MARCOS GUILHERME: Em uma partida em que o time inteiro parecia completamente desligado em campo, Arboleda e Sidão estavam o tempo inteiro ligados e literalmente evitaram um resultado pior. Com Rodrigo Caio completamente distraído e Edimar perdendo o tempo em todas as bolas, Arboleda teve que trabalhar em dobro e Sidão fez duas defesaças que evitaram uma derrota. Já Marcos Guilherme pelo menos correu um pouco e fez outro golaço de puro oportunismo. Militão também receberia Bola Cheia por sua atuação com comprometimento, mas foi merecidamente expulso em uma falta tão infantil que merece sim uma bela bronca do Dorival pela lambança.

 

  • APATIA GERAL: O que diabos aconteceu com Hernanes, Petros e Pratto? Justamente o trio que é a espinha dorsal do time simplesmente não entrou em campo. Ninguém discute que o time mudou muito após a volta de Hernanes, mas não podemos ser “hernanesdependentes”. Em dias como desta partida, o time simplesmente não funciona quando o Profeta está desligado, perdendo todas as bolas, sem encaixar nenhum ataque. Petros foi ainda pior, pois errou uma quantidade de passes anormal e deixou a defesa “a Deus dará” em inúmeras oportunidades. Pratto até que se esforçou, mas não encaixou nenhuma jogada decente. Com a letargia geral do trio, o resto do elenco empacou. Os toquinhos de lado de Rodrigo Caio, Edimar e Petros no meio-de-campo eram irritantes, inócuos e típicos de quem desistiu de ganhar uma partida.
  • EDIMAR: Sério que a comissão técnica acredita tanto no futebol desse cara que pediu a renovação de contrato dele? Amigo, o Edimar perde o tempo de todas as bolas, apela toda hora pra falta (algumas bem desleais), perde na corrida pra qualquer atacante, cruza mal, se posiciona pior ainda e não acerta nem passes de três metros. Será que estamos alimentando o nascimento de um novo Paulo Miranda no time?

 

 

Compartilhar:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on Tumblr