Jogos do SPFC

Informação do Evento:

  • dom
    23
    abr
    2017

    Corinthians 1x1 SPFC

    16h, Itaquera (Paulistão)


    CORINTHIANS 1 X 1 SÃO PAULO
    Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
    Data-Hora: 23/4/2017 - 16h
    Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
    Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Herman Brumel Vani (SP)
    Público/renda: 43.008 pagantes/ R$ 2.667.936,30
    Cartões amarelos: Rodriguinho, Guilherme Arana, Léo Jabáe Jadson (COR): Wesley e Chavez (SAO)
    Cartões vermelhos: Thiago Mendes (SAO)
    Gols: Jô 46'/1ºt (1-0); Pratto 36'/2ºt (1-1)
    CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo, Guilherme Arana (Moisés 34’/2º T); Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho e Romero (Léo Jabá 31’/2ºT); Jô (Kazim 38’/2ºT) . Técnico: Fábio Carille
    SÃO PAULO: Renan Ribeiro, Wesley, Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares (Luiz Araújo 11’/2ºT); Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Cueva (Thomaz 24’/2ºT), Gilberto (Chavez 11’/2ºT) e Pratto. Técnico: Rogério Ceni

     


    - LUCAS PRATTO: O jogo já estava acabando, a classificação já tinha ido pro saco, mas Pratto continuava jogando como se fosse final de campeonato, brigando por todas as bolas, dando carrinhos efetivos, tomando bola dos adversários. E ainda fez um golaço de pura raça. Amigo, o elenco deveria ser reunido no centro do gramado do CT e ouvir uma palestra de Lucas Pratto sobre como ser efetivo jogando com determinação. Não foi apenas o melhor em campo, pois, na verdade, Pratto foi uma das melhores contratações dos últimos 5 anos. O cara é nota 1000 e já é “hors concours” no Bola Cheia.

     


    - FLÁVIO RODRIGUES DE SOUZA: Mais uma vez o velho ditado se repetiu: “Se não é com apito amigo, não é Corinthians”. Além de fazer vista grossa para as agressões dos corintianos aos são-paulinos (Gilberto tomou uma cotovelada violenta e o juiz nem sequer marcou falta), o tal Flávio Rodrigues de Souza atacou triplamente junto com o Corinthians: não marcou uma agressão a Maicon, inventou uma falta a favor das gaivotas e validou um gol completamente impedido de Jô (aquele que só jogou porque foi “salvo” por Rodrigo Caio na partida anterior). Que a arbitragem brasileira é péssima, isso nós já sabemos, o que é estranho é que ela só é boa a favor do Corinthians…

    - WESLEY: Ou esse cara é amador ou não treina fundamentos. De cada 10 passes feitos, 11 eram errados. Dos cruzamentos nem vamos falar, pois alguns devem ter ido parar no meio da favela de Itaquera. Atrapalhou muito mais do que ajudou.

    - LUIZ ARAÚJO: Lembra daquelas atuações de classe que faziam a gente pedir o garoto como titular? Esqueça. O moleque virou mascarado, não acerta mais nenhuma cruzamento, não consegue concluir nenhuma jogada, abusa de firulas patéticas e parece totalmente alheio à partida. Atuação ridícula.

    - CÍCERO e CUEVA: Não dá nem pra avaliar porque sequer entraram em campo. Pareciam fugir da bola e só apareciam quando tentavam cavar faltas de forma quase infantil. Atuações vergonhosas.

    - ROGÉRIO CENI: Dói no coração dar Bola Murcha ao Mito, mas a crítica não vai para a pessoa e sim para os erros dele nesta partida. Quando ele escalou o time com Gilberto e Pratto, a torcida ficou esperançosa, pois ele finalmente deu o braço a torcer para o pedido da galera. Mas aí ele entrou com Cueva como titular, que está longe dos 100% da condição física (se estiver com 40%, é muito!) e vive péssima fase técnica. Aconteceu o óbvio: a bola não chegava ao ataque. Com o placar adverso, Ceni resolveu fazer uma troca dupla: tirou Gilberto e Júnior Tavares pra colocar Chavez e Luiz Araújo. Com essa mudança equivocada (a gente ia dizer “estúpida”, mas vamos pegar leve nas palavras), o ataque desmontou. Aí aos 25’ do segundo tempo Ceni resolveu fazer a mudança óbvia que deveria ter sido feita na escalação do time titular para esta partida: tirou Cueva e colocou o ótimo Thomaz. Mas aí a bobagem já havia sido feita e era tarde demais pra virar o placar. Pra piorar, o time ficou capenga na lateral porque os jogadores não pareciam entender o que Ceni queria fazer. Enquanto Ceni teimar com atletas em péssima fase (Cueva, Luiz Araújo, Cícero, Chavez), não investir em quem rende bem (Gilberto) e ignorar quem está em boa fase (Thomaz), vai ser difícil voltar a acreditar em títulos.

     

    Detalhes deste jogo