A era dos vexames voltou: SPFC perde pro Bahia em jogo ridículo

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

SÃO PAULO 0 X 1 BAHIA
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo
Data: 22 de maio de 2019, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Thiago Henrique Farinha (RJ)
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Público: 19.508 torcedores
Renda: R$ 655.711,00
Gol: Élber, aos 27 do 2ºT (Bahia)
Cartões amarelos: Tchê Tchê, Igor Vinícius e Antony (São Paulo); Fernandão, Gregore, Douglas Augusto e Douglas Friedrich (Bahia)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Igor Vinícius, Bruno Alves, Walce e Léo; Luan (Vitor Bueno), Tchê Tchê e Igor Gomes (Nenê); Toró, Pato e Everton (Antony); Técnico: Cuca

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Ernando, Lucas Fonseca e Moisés; Gregore, Douglas (Flávio) e Elton; Élber (Clayton), Fernandão (Rogério) e Artur; Técnico: Roger Machado

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • NENÊ: No pouco tempo que esteve em campo, foi mais efetivo para o time do que todos os outros jogadores que atuaram os 90 minutos. É impressionante como o cara que é mais criticado por ser “estrelinha”, quando entra em campo atua com seriedade e muito respeito à instituição SPFC. Em dois ou três passes, criou situações efetivas de gols, duas delas perdidas por Pato. O que adianta entrar com Igor Gomes e Luan como titulares se em um jogo com adversário fechadaço os caras não sabem o que fazer com a bola? Aí o velhote Nenê entra, vai pra cima e cria jogadas efetivas de ataque. Na boa, que Cuca barre quem ele quiser, mas tá passando da hora de colocar Nenê como titular de novo.

 

Igor Vinícius: péssimo em todos os fundamentos

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • FUTEBOL CARANGUEJO: Não tem nada que irrite mais a torcida do que esse futebol caranguejo que nos lembra os tempos de Jucilei e Rodrigo Caio, com passes pros lados e pra trás, que não levam a lugar algum. Enquanto estava 0x0, a bola mal passava do meio-de-campo, pois os caras só ficavam dando toquinho de lado, sem nenhuma vontade de atacar. É pra isso que essa cambada treina a semana inteira? Digam pra gente: como profissionais do porte de Tchê Tchê, Igor Vinícius, Luan e Léo treinam a semana inteira para errar passes de 3 metros o jogo inteiro? Com esse futebol medíocre, vergonhoso, covarde e sem centroavante (sem bem que o SPFC contratou um “cracaço” que não era nem reserva no Fluminense…), a fase dos vexames parece estar voltando. Oi, sr. Planejamento, alguém ainda lembra que o sr. é importante?
  • IGOR VINÍCIUS: Jogadorzinho mediano, se posiciona sempre errado, chuta torto, cruza errado, erra uma quantidade inacreditável de passes. Além disso, erra muito o tempo da bola e comete faltas demais ― algumas completamente desnecessárias. Não bastasse a lambança que fez contra o Goiás, quase repetiu a dose contra o Bahia. Uma atuação medíocre.
  • TCHÊ TCHÊ: Esse é um dos “intocáveis” do Cuca. Mas a gente queria muito saber se o Cuca vê o vídeo dos jogos, afinal, não é possível que ele não perceba a quantidade de passes errados do Tchê Tchê em campo. Molenga, preguiçoso e acomodado, Tchê Tchê teve uma atuação digna de banco de reservas.
  • CUCA: Insistir com Tchê Tchê como intocável, inventar “falso 9” que não existe, barrar Igor Gomes sem nenhuma razão plausível, colocar Toró pra jogar no lugar errado, esquecer Nenê na reserva… A gente sabe que é início de trabalho e sabe também que Cuca pegou um time castigado pelo péssimo planejamento de Raí & cia., mas tem hora que Cuca inventa tanto que a impressão que dá é que ele desmontou de vez todo o bom trabalho de recuperação da equipe feito por Mancini. Será que estamos vendo a era dos vexames retornar?