A volta dos vexames: SPFC perde para reservas do Santos

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0 X 1 SANTOS
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 10 de janeiro de 2021 (domingo), às 16h (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (SC) e Alex dos Santos (SC
VAR: Heber Roberto Lopes (SC)
Gols: 0-1 Jobson (01’2ºT)
Cartões amarelos: Pablo (São Paulo), Alex, Vinicius Balieiro, João Paulo, Alison (Santos)

SÃO PAULO: Volpi, Juanfran, Léo (Vitor Bueno, aos 12’2ºT), Arboleda e Reinaldo; Luan (Paulinho Bóia, aos 36’2ºT), Daniel Alves, Gabriel Sara (Hernanes, aos 36’2ºT) e Igor Gomes (Trelléz, aos 26’2T); Brenner e Pablo (Carneiro, aos 26’2ºT). Técnico: Fernando Diniz.

SANTOS: João Paulo, Madson, Laercio, Alex, e Jean Mota (Luan Peres, aos 25’2ºT); Vinicius Balieiro (Diego Pituca, aos 12’2ºT), Sandry e Jobson (Alison, aos 20’2ºT); Arthur Gomes (Pará, aos 25’2ºT), Lucas Braga e Bruno Marques (Kaio Jorge, aos 12’2ºT). Técnico: Cuca

 

BOLA CHEIA

  • SISTEMA DE DRENAGEM DO GRAMADO DO MORUMBI: No primeiro tempo, a chuva fortíssima que caiu no estádio indicava que teríamos um jogo cheio de poças d’água, tudo amarrado, chutes tortos, finalizações horrendas. Bom, teve tudo isso, mas sem poças d’água. O sistema de drenagem do Morumbi manteve a bola rolando lisa, como se nem tivesse chovido. Não dá nem para usarem a chuva como desculpa para o futebol medíocre apresentado.

 

BOLA MURCHA

  • DANI ALVES: Outra vez saiu errado com a bola, entregou o ouro e o SPFC tomou gol. Mas ninguém chama a atenção dele, ninguém reclama. Na verdade, só faltam pedir desculpas ao cara pelo erro que foi dele mesmo. E a cena se repete todo jogo: Dani Alves tenta sair jogando, perde a bola e é um Deus nos acuda na defesa. Se o cara é tão magnânimo como Fernando Diniz defende, então é hora do próprio atleta pedir desculpas pelas lambanças constantes. Ou então, pedir para sentar no banco de reservas.
  • TIAGO VOLPI: Goleiraço, ninguém contesta. Mas não pode continuar tomando esses frangos ridículos. Chutinho fraco, passou a centímetros da mão do goleiro. Se Volpi fizesse um sinal de “joinha” estilo “curtir” do Facebook, teria defendido a bola. Mas ele nem se mexeu.
  • PABLO: Tem horas que o próprio jogador tem que tomar vergonha na cara e pedir pra sair – não do jogo, e sim do clube! Pelo amor de Deus, Pablo é um dos atacantes mais apáticos, fracos, desinteressados e patéticos que já vimos passar pelo SPFC. Tréllez e Carneiro são ruins ― OK, a gente sabe ―, mas qualquer um dos dois é mil vezes melhor que o patético Pablo. Por que diabos Fernando Diniz insiste tanto com ele?!?
  • VITOR BUENO: Além de Pablo, esse é outro mistério que ninguém consegue explicar: como um pereba como Vitor Bueno continua no clube? Pior: como o treinador escala esse troço para jogar?!? Depois de ver as finalizações amadoras e passes de papagaio perneta que Vitor Bueno fez nessa partida, Diniz só insiste com ele se for ridiculamente teimoso. Não dá, um troço desses não pode ser jogador de futebol profissional de verdade!
  • BRENNER: Sem Luciano em campo, Brenner volta a ser aquele Sub-20 que não deu certo e mal consegue tocar na bola. Passes errados, finalizações erradas, tudo errado. Em plena reta final do Brasileiro, resta torcer para Luciano voltar, pois sem ele Brenner é bem fraquinho.
  • REINALDO: Acorda, Reinaldo, o jogo já acabou! E isso aqui não é futebol americano para chutar a bola pra fora do estádio daquele jeito, cara. É muita displicência!

(por Demétrio Valente)