Amoroso volta ao Morumbi como padrinho de Alex: ‘Minha casa’

“Aqui eu me sinto em casa, literalmente”. Foi com esse sentimento que o ex-atacante Amoroso voltou ao Morumbi nesta segunda-feira (5) para ser o padrinho do técnico do time sub-20 do São Paulo. O escolhido é um velho conhecido dele: Alex, com quem foi campeão da Copa América de 1999 pela Seleção Brasileira. O novo desafio à frente do time júnior em Cotia será tirado de letra, segundo o ex-companheiro.

“Ele é um cara que tem tudo para ser um grande maestro, como foi dentro de campo. Pela vivência, pela história que construiu no futebol brasileiro, no futebol internacional e na Seleção Brasileira”, disse Amoroso.

O ex-camisa 11 acrescentou: “Receber o Alex dentro da nossa casa é um sonho. Gostaria de ter visto ele dentro de campo com a camisa 10 do São Paulo! Infelizmente não foi possível, mas hoje ele como treinador está tendo essa oportunidade de começar sua carreira aqui e vai ser gigante”. 

Amoroso ainda revelou que o amigo faz mais o tipo psicólogo que linha dura. “O Alex é muito conversador, dialoga bastante. No momento em que tiver que ser duro ele vai ser, mas no momento em que tiver que conversar, colocar os meninos debaixo do braço e falar ‘é assim que se faz’, ele pode ser um grande paizão”.

O tour pelo Morumbi, na companhia de Alex, PC Oliveira (que será auxiliar técnico do ex-meia na equipe júnior) e do Presidente Julio Casares, despertou as melhores memórias em Amoroso, que se deteve especialmente em frente à foto do título do Mundial de Clubes da FIFA em 2005. 

“É  MorumTri por causa desse ano de 2005, que foi fantástico para a história do clube. Essa foto é a realização de qualquer jogador que veste a camisa do São Paulo”, disse o ex-jogador. “Quando você chega e vê a sua foto no Morumbi, na passagem do túnel que leva os jogadores para o campo, isso não tem preço!”

Amoroso fez 30 jogos com a camisa do Tricolor, 18 gols. Conquistou a Libertadores e o Mundial. Assim como Alex, ele também é espelho para as novas gerações. “Todo momento e cada minuto que eu vivenciei, o suor aqui dentro, vai ser para sempre. E foi, com certeza, de coração”. Perguntado se tem saudades daqueles tempos, ele responde sem titubear: “Hashtag saudade! Saudade de subir aqui e de poder escutar o grito da torcida. Cada gol que tive a oportunidade de fazer aqui era um sonho realizado”, completou o ídolo, que faz parte da Calçada da Fama do Tricolor.

Fonte: SPFC