Apesar de fazer bom jogo, SPFC empata sem gols com a Crefi$a

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

SÃO PAULO 0 x 0 PALMEIRAS
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 30 de março de 2019, sábado
Horário: 18 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan
Assistentes: Marcelo van Gasse e Danilo Simon
VAR: Raphael Claus, auxiliado por Emerson de Carvalho e Flávio de Souza
Público: 43.292 pagantes
Renda: R$ 1.809.853,00
Cartões amarelos: Luan, Liziero, Arboleda e Hudson (SAO); Victor Luis, Felipe Melo, Marcos Rocha e Gustavo Scarpa (PAL)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins (Arboleda) e Reinaldo; Luan, Liziero e Igor Gomes (Nenê); Antony, Pablo e Everton Felipe (Everton); Técnico: Vagner Mancini

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis (Diogo Barbosa); Felipe Melo, Bruno Henrique e Ricardo Goulart (Lucas Lima); Gustavo Scarpa, Dudu e Deyverson; Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • MUDANÇA DE MENTALIDADE: É incrível imaginar que até algumas semanas atrás esse era um time assustado, covarde e medroso. O SPFC enfrentou o milionário time da Crefi$a de igual para igual, fez uma belíssima partida no primeiro tempo, atuou de forma leve, rápida, com personalidade. A molecada outra vez se destacou, enfrentando o adversário com muita personalidade. OK, o gol não saiu, mas comparado ao que víamos em campo algumas semanas atrás, o SPFC literalmente renasceu com o trabalho de Mancini junto à molecada. Se até no carnaval o tsunami de dinheiro da Crefi$a faz a diferença, é um alento ver no futebol a molecada do SPFC encarar os milionários de frente, com raça e personalidade. Pode até não passar no segundo jogo, será até um resultado absolutamente normal, mas pelo menos estamos vendo agora um time realmente competitivo. Além disso, vale lembrar que esse elenco dispensou o prêmio pela classificação às semifinais, pois negociou um prêmio maior se passar pelo time da Crefi$a. Em outros tempos, sempre vimos os caras pegarem logo o “bicho” para garantir a grana, pois sabem que passar da Crefi$a é muito difícil. Agora, eles apostam no “dobro ou nada” e mostram que de fato algo está mudando nos bastidores do SPFC.
  • MANCINI: No meio da crise, foi um profissional exemplar, recuperou a confiança do elenco, barrou medalhões que vivem de nome, apostou na molecada, deu liberdade para o infernal Antony e entrega o time para Cuca com confiança renovada e, enfim, um esquema de jogo de verdade (coisa que Jardine nunca conseguiu fazer). Parabéns, Mancini, seu profissionalismo foi exemplar!
  • ANTONY: No primeiro tempo, foi um dos melhores em campo. No segundo, quando o resto do time começou a cansar, Antony continuou sendo um dos melhores em campo. Os Milionários da Crefi$a deram porrada no moleque de todo jeito, pra todo lado, mas o moleque não se intimidou e continuou tentando suas jogadas até o último segundo. Antony é um monstro, simplesmente a maior revelação do SPFC dos últimos anos!

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • NINGUÉM: Novamente, não dá para dar Bola Murcha para ninguém quando vemos o time todo atuando com absoluto empenho em busca do resultado. Claro que Reinaldo continua parecendo uma vaca louca chutando para qualquer lado, Anderson Martins continua perdido como se fosse seu primeiro dia no clube e Tiago Volpi continua repondo as bolas como se fosse um cadeirante sem braço, mas pelo esforço conjunto desse elenco, ninguém merece o Bola Murcha. E também vale lembrar que, mesmo com o empate sem gols, o time saiu de campo muito aplaudido.