Com futebol fraco, SPFC só empata e não se impõe contra a Ferroviária

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

SÃO PAULO 1 X 1 FERROVIÁRIA
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 9 de março de 2019 (sábado)
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Adriano de Assis Miranda
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Leandro Matos Feitosa
Cartões amarelos: Bruno Alves, Luan (SP) Rayan, Tony (FER)
Público: 9.985 (pagantes) / 10.944 (total)
Renda: R$ 267.057,00

GOLS: São Paulo: Hernanes, a 1 minuto do 2T; Ferroviária: Léo Arthur, aos 19 minutos do 1T

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Arboleda, Anderson Martins (Helinho) e Bruno Alves; Igor Vinícius (Bruno Peres), Luan, Hernanes e Léo; Antony, Pablo e Gonzalo (Brenner); Técnico: Vagner Mancini (interino)

FERROVIÁRIA: Tadeu; Diogo Mateus, Rayan, Rodrigão e Arthur Henrique; Anderson Uchoa (Higor Meritão), Tony, Léo Artur, Felipe Ferreira (Maurinho) e Diego (Felipe Mateus); Lúcio Flávio; Técnico: Vinícius Munhoz

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • ANTONY: Apesar de ainda ser fominha em algumas situações, Antony é hoje em dia não apenas titular absoluto, mas o único jogador que consegue de fato ser decisivo no ataque. O moleque joga com personalidade, dribla com inteligência para seguir a jogada adiante (e não para aparecer no DVD, como o mascarado Helinho), dá sempre opções para os homens de frente se posicionarem para o ataque. Não é nenhuma surpresa que 6 grandes clubes europeus já estão de olho nele e não será nenhuma surpresa se a diretoria negociá-lo no meio do ano por uma boa quantia. E se isso acontecer, pode esperar que para “compensar” vai trazer algum reforço tipo o Zé Pitomba, craque do Batatais ou de alguma outra “potência” do futebol. Antony não é apenas a principal surpresa da Base nesta temporada, mas certamente um jogador que tem muito mais potencial até do que o excelente David Neres, que enfim chegou à Seleção.
  • HERNANES: Ainda está longe da boa forma (apesar de que 3 meses para entrar 100% em forma parece um pouco demais, não…?), demora demais pra passar a bola, parece confuso e deslocado na maior parte do tempo. Porém, é só clarear um pouco e o cara já deixa seu golzinho, salvando o SPFC de mais uma humilhação em pleno Pacaembu. Nosso total respeito pelo Profeta ― mas que ainda precisa mostrar algo mais em campo, ah, isso precisa…
  • MANCINI: Se tem alguém que nos surpreendeu muito no meio dessa crise foi o Mancini. O cara tem ótima visão de jogo, não tem medo de fazer uma substituição com 25 minutos de jogo (quando tirou o ridículo Anderson Martins), mexe peças e esquema para se adaptar ao adversário e sempre busca a vitória sem esquemas mirabolantes montados em software de 3D no notebook. Na boa, se Mancini tivesse assumido o clube em dezembro passado em vez do amadorzão Jardine, o SPFC não estaria nesta situação e ainda estaria na fase de grupos da Libertadores.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • HELINHO: Esse é o famoso Craque do DVD: é o cara que pega a bola, sempre tenta uma firula, sempre tenta uma jogada de efeito e perde todas as jogadas. Mas o DVD será editado e só mostrará as jogadas de efeito, claro, pois o DVD é o cartão de visita que vai colocá-lo em algum clube de segundo escalão da Europa. Helinho joga pra ele, não pro time: sempre tenta uma jogada de efeito para ficar bonito no DVD, mas sempre prejudica o time perdendo bolas fáceis. Helinho não conseguiu concluir absolutamente nenhuma jogada que tentou. Nenhuma! Veja que não estamos dizendo que ele perdeu “a maioria” das bolas. Não é isso: ele perdeu todas! Além disso, perdeu dois gols feitos, absurdos, porque tentou chutezinho de categoria em vez de passar a bola para companheiro melhor colocado. Se Helinho olhasse pro lado e aprendesse um pouco com Antony, talvez ele pudesse mostrar uma performance muito melhor. Por enquanto, Helinho é apenas um pseudo-craque mascarado que só joga pra si e esquece por completo que o futebol é um esporte coletivo.
  • DM: Na maioria dos clubes, DM é a sigla do Departamento Médico. Em alguns clubes, no entanto, a sigla está mais para Departamento do Migué. Na hora da crise, é incrível a quantidade de jogador com dor no pé, dor no joelho, dor no púbis, dor no cabelo, dor nas unhas, cisco no olho… Você viu a quantidade de jogadores no DM são-paulino nesta semana? Curiosamente, tem gente que não parecia ter dor nenhuma para cair na folia do carnaval, não é? E foi um tal de folia pra cá, festas sem fim pra lá. E a mídia mostrou tudo…