Conselheiros querem Diniz fora e esperam que Raí peça demissão

O maior vexame do São Paulo na Era Leco vai causar mudanças radicais. Pelo menos é o que cobram membros do Conselho Deliberativo e do Conselho de Administração do Tricolor depois da derrota por 3 a 2 para um remendado Mirassol, no Morumbi, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. O adversário perdeu 18 jogadores durante a pandemia do coronavírus.

O Blog teve acesso a algumas mensagens e áudios enviados no grupo de WhatsApp exclusivo para conselheiros e a pressão era por demissões importantes no departamento de futebol.

Vários querem a dispensa do técnico Fernando Diniz. Outros cobram a saída imediata de Raí e Alexandre Pássaro, os homens que comandam o futebol.”

Também é grande o movimento contrário a Leco, que vai terminar sua gestão de cinco anos à frente do São Paulo sem qualquer título – ele assumiu em outubro de 2015 e fez do Tricolor o terceiro clube que mais investiu em reforços no período, só atrás de Palmeiras e Flamengo. Ainda assim, colecionou 14 eliminações, 15 técnicos e nenhuma taça.

Até o Conselho de Administração, formado por um grupo bem menor de pessoas, e com a missão de auxiliar o presidente nas grandes decisões, espera por decisões fortes. Entre elas, um pedido de demissão de Raí, que já era alvo de críticas em dezembro passado. Existia quem defendesse que Leco não renovasse o contrato do diretor-executivo de futebol para 2020.

Diante do caos financeiro – o São Paulo fechou os primeiros cinco meses do ano com déficit de R$ 80 milhões – e da falta de resultados em campo, também não dá para descartar que um movimento encabeçado por conselheiros da oposição algumas semanas atrás ganhe força: o que pede o impeachment de Leco.

Vale lembrar que haverá eleição no fim do ano. Julio Casares é o único candidato confirmado. Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel e Sylvio de Barros vão concorrer por um lugar para enfrentar Casares nas urnas.

Fonte: Canal do Nicola / ESPN