Contrato de Gomes não tem multa alguma

Conforme combinado no fim da tarde de sexta-feira, o São Paulo aguardou a manifestação do Botafogo para anunciar definitivamente a contratação de Ricardo Gomes para assumir o comando da equipe. O contrato do técnico com o Tricolor não estipula prazo de vencimento ou multa rescisória. Desta forma, quando qualquer uma das partes entender que é o momento de romper o vínculo, poderá assim fazer sem preocupações.

Após perder Juan Carlos Osório e Edgardo Bauza para as seleções do México e Argentina, respectivamente, além de trazer Ricardo Gomes do Botafogo, o São Paulo parece conformado de que prazos ou multas nestes casos são irrelevantes e não impendem qualquer desejo por uma transferência.

Em um comunicado no site oficial do clube, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, explicou os motivos da escolha por trazer Ricardo Gomes de volta após seis anos de sua primeira passagem pelo São Paulo. À época, o clube alegou que não demitiu o técnico. Apenas o liberou após o fim de seu contrato, sem efetuar a renovação. O presidente era Juvenal Juvêncio e Leco compunha na cúpula como vice-presidente de futebol.

“Decidimos pelo Ricardo Gomes não só pela competência demonstrada em seus resultados, mas também pelo registro de uma personalidade correta. É um profissional de indiscutível liderança, o que nos dá segurança e tranquilidade sobre o trabalho que será realizado. O retorno do Ricardo ao São Paulo significa também o reconhecimento de um trabalho importante que foi desenvolvido entre 2009 e 2010”, explicou Leco, em nota oficial.

Ainda não há uma confirmação de que Ricardo Gomes estará no Morumbi para assistir o confronto da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro entre sua ex e atual equipe. A apresentação oficial está programada para acontecer no início da próxima semana, ainda sem data definida, mas tudo indica que seja já nesta segunda-feira. Domingo, contra o Internacional, no Beira Rio, em Porto Alegre, técnico reestreia a frente do time são-paulino.

Em 2009, Ricardo Gomes assumiu a equipe do Morumbi após a saída de Muricy Ramalho em decorrência da eliminação na Copa Libertadores daquele ano para o Internacional. Sob seu comando, o time saiu da 16ª e encerrou o Campeonato Brasileiro em 3º lugar, dois pontos atrás do campeão Flamengo. Mas, a queda na competição continental no ano seguinte para o Cruzeiro marcou o fim de seu ciclo.

Foram 73 jogos, com 38 vitórias, 15 empates e 20 derrotas, e um aproveitamento de 59% dos pontos disputados. Já em 2011, Ricardo Gomes levou o Vasco da Gama ao título da Copa do Brasil, mas teve de se afastar do futebol por quatro anos em função de um acidente vascular cerebral (AVC). De volta em 2015, conduziu o Botafogo à conquista e acesso na Série B do Campeonato Brasileiro e foi vice-campeão Carioca em 2016.

[Gazeta Esportiva]