Crespo elogia empenho dos jogadores e chegada de reforços

O técnico do São Paulo, Hernán Crespo, elogiou a postura dos jogadores na goleada por 4 a 0 sobre o Santos, neste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. Principalmente por terem superarado a forte chuva no primeiro tempo e depois brilhado na etapa final.

– Quero felicitar os jogadores sobre como se adaptaram à condição climática no primeiro tempo. No segundo tempo se pode jogar mais e sempre tentaram jogar, apesar das condições do campo. Sempre acreditaram nas próprias capacidades – disse o técnico, que acrescentou:

– Temos uma identidade e queremos jogar de uma certa maneira. Hoje o tempo, sobretudo no primeiro tempo foi muito difícil. Difícil jogar o futebol que pretendemos. Quando melhorou um pouco e o campo absorveu a água, o São Paulo mostrou que quer jogar de uma maneira, ser vertical, com imposição. O São Paulo mostrou uma forma de jogar. Isso me deixa muito feliz.

Crespo foi questionado também sobre os reforços que o São Paulo fechou nos últimos dias: o lateral-direito Orejuela e o zagueiro Miranda.

– Indica que o clube está se mexendo, queremos um elenco competitivo em todas as linhas. Orejuela e Miranda nos dão essa competência, principalmente nos momentos chaves, com Libertadores, Brasileirão… Estamos completando o elenco devagar, mas dou as boa-vindas a eles – falou o técnico.

Líder do Grupo B com sete pontos, o São Paulo volta a campo pelo estadual no próximo sábado, às 16h30, contra o Novorizontino, fora de casa. Por conta da semana livre, o elenco ganhará dois dias de folga por conta da sequência de jogos que teve desde a temporada passada.

– Quanto ao descanso, há uma programação. Viemos de três jogos e agora podemos ter dois dias de folga. Férias impossível, porque a situação geral de todo o mundo é muito difícil. Mas nesse caso podemos dar dois dias livres para se recuperar depois de tanto esforço físico. Vamos fazer quando possível, mas sem perder o foco de onde queremos chegar. Faz parte da preparação descansar – disse o técnico argentino.

Leia outros trechos da entrevista de Crespo:

Elenco do Tricolor
– Os grandes treinadores precisam dos grandes jogadores. Posso ter muitas ideias, mas sem a atitude, gana e profissionalismo dos jogadores é impossível. O bom que tem esse grupo é que as intenções e ideias são executadas 100% com muita atitude. Pode ter erro e isso é normal. Mas com gana, vontade de ser protagonista, isso é mérito dos jogadores. Estou agradecido de poder treiná-los. Em cada treino dão ao máximo. Talento eles têm. São talentosos. Simplesmente dei algumas regras, ordens táticas, um pouco mais de disciplina ao recuperar a bola. Por isso o mérito e o agradecimento aos jogadores.

Segundo tempo sem três zagueiros
– Arboleda teve um problema no pé e como entendíamos que poderia passar a linha de quatro defensores, e vinha bola longa sobre Marques, então necessitávamos de dois contra um. Entendia que Rojas e Sara pelos lados dariam amplitude para encontrar jogo por fora.

Rodrigo Nestor
– Precisávamos de gente dinâmica, porque Luan é um jogador de força e prestígio, mas entendíamos que o jogo num meio campo com Sara, Nestor e Daniel Alves nos daria uma velocidade de jogo, que lamentavelmente o campo não permitiu no primeiro tempo. Futebol tem muitas opções e caminhos pra chegar à vitória, mas sem a garra dos jogadores é impossível.

“Esse grupo está demonstrando nessa semana em que estou, não só nos jogos, mas em cada treino, que quem entra sabe o que tem de fazer, e o nível segue muito alto.”

Técnicos argentinos pela primeira vez no San-São
– Não sabia que foi a primeira vez de dois argentinos no banco, mas me alegro. Santos e São Paulo são muito maiores do que dois argentinos no banco. O clássico é mais interessante do que a nacionalidade. É uma curiosidade, mas está bem. Estou feliz de estar aqui. São Paulo é grande, não tem de pensar muito quando se propõem fazer parte de um clube tão grande. Para mim a escolha foi muito fácil.

Começo do trabalho
– Foram nove dias. O trabalho acabou de começar. Temos de estar preparados. Espero que seja sempre assim todo ano, mas queremos manter a valentia e coragem desses jogadores todo o ano e manter a identidade de como jogar. E vão aparecer momentos difíceis e aí tem de estar forte. Por isso, creio que essa semana de resultado, rendimento e atitude dos jogadores foi primeiro passo para objetivo maior. Festejar, porque nem sempre se ganha de 4 a 0 contra um rival muito grande, os torcedores e jogadores felizes, mas eu estou tranquilo, porque não será fácil.

Fonte: GE