Crespo elogia personalidade da equipe na goleada contra piauienses

Nesta terça-feira (8), após a goleada do São Paulo por 9 a 1 sobre o 4 de Julho no Morumbi, pela terceira fase da Copa do Brasil, o técnico Hernán Crespo elogiou bastante a postura da sua equipe na partida, que garantiu classificação para as oitavas de final da competição. O argentino elogiou bastante a personalidade do Tricolor, campeão paulista no primeiro semestre.

Precisando de uma vitória por dois gols de diferença, já que no jogo de ida perdeu por 3 a 2 fora de casa, o São Paulo começou o jogo no Morumbi levando um gol logo aos 29 segundos do primeiro tempo. Entretanto, apesar do placar inicial desfavorável, o clube paulista soube reagir muito bem e virou a partida ainda na primeira etapa. Crespo, por sua vez, elogiou bastante o comportamento.

“Vínhamos de dois resultados difíceis. Mas acredito que o primeiro jogo foi condicionado pelas decisões do árbitro. O jogo terminaria 3 a 1, mas terminou 3 a 2 e deveríamos recuperar. Foi a situação ideal para lembrar e mostrar nossa personalidade. Lembrar que tudo isso nos fez ganhar o Paulistão e colocar o carro na rua”, começou por dizer.

Em relação à sequência da temporada, Crespo evitou fazer promessas quanto à conquista de mais um título além do Paulistão, mas deixou claro que a atitude do São Paulo dentro de campo continuará sendo competitiva.

“Simplesmente pensando no presente. Eu falo sempre que a história do São Paulo é muito rica, e ela não é mérito desse elenco, assim como os momentos difíceis. Estamos escrevendo uma nova história. Acabou o Paulistão, agora se inicia outra com um time que quer ser protagonista e competitivo. Não prometemos ganhar títulos, mas sim sermos muito competitivos. Um time que vai dar tudo para alcançar o lugar mais alto. Alcança? Não sei, mas vamos tentar”, prosseguiu.

Por último, o técnico argentino ainda falou sobre a escalação que optou para a partida desta terça, utilizando o que tem de melhor, mas evitou cravar que existam reservas ou titulares no atual plantel são-paulino.

“Acho que devemos continuar na mesma linha de sempre, que deu resultado, um único São Paulo. Não há titulares ou reservas. Acredito que é a situação ideal para conviver com esse calendário, que podemos fazer cinquenta, sessenta partidas. Pode ser imediatamente, no futuro, mas passa pela estratégia que precisamos pra enfrentar o rival. Precisamos de todos, e todos devem estar prontos para jogar”, finalizou.

Fonte: ESPN