Depois de fazer mais 2 gols, Brenner vira artilheiro do SPFC no ano

Se o São Paulo precisou recorrer aos pênaltis para se classificar às quartas de final da Copa do Brasil, não foi por culpa de Brenner. O atacante fez sua parte: marcou mais dois gols, os dois do empate por 2 a 2 com o Fortaleza, no Morumbi, e melhorou sua média na temporada.
 
Estes foram o sexto e o sétimo gols do jovem atacante desde que ele se tornou titular do time, há seis jogos. Até então, ostentava a já boa média de um gol por partida no período.
 
Contra o Fortaleza, Brenner mostrou forte presença de área. No primeiro tempo, pegou de voleio quando a bola sobrou de disputa pelo alto e colocou o São Paulo na frente. No segundo, aproveitou mais uma sobra e bateu de primeira, deixando o time mais perto da vitória – mas o adversário buscaria o empate.
 
De quebra, Brenner, de 20 anos, passou Pablo e agora está isolado como artilheiro do time na temporada, com 11 gols.
 
– O Brenner hoje vive um momento especial na carreira, na vida dele. É um garoto que tem uma aposta muito grande. Há jogadores que devido ao talento, sobem para o profissional com uma expectativa muito grande e se cria uma pressão muito grande para um jovem de 16, 17 anos e que não é fácil administrar – comentou Tiago Volpi sobre o companheiro.
 
– No caso do Brenner os anos que tem passado, o que tem acontecido nesse processo, para ele, foram benéficos. De até mesmo ter rodada no ano passado, pegar uma outra experiência no Fluminense e retorna nesse ano com mais sequência, principalmente depois da pandemia, e ele soube esperar, soube trabalhar. O Diniz faz um trabalho muito bacana com ele, já tinha levado ele para o Fluminense e, como eu falei, tudo tem seu tempo e sua hora e acho que esse período de maturidade do Brenner tem chegado e ele está cada vez mais pronto para assumir essa responsabilidade que ele está assumindo agora – completou Volpi.
 
A atual sequência do camisa 30 começou com dois gols sobre o Atlético-GO, pelo Brasileiro. Depois, mais dois gols contra o Fortaleza no jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil. O quinto gol foi marcado contra o Binacional, na despedida do São Paulo da Libertadores. Ele passou em branco contra o Grêmio e o Palmeiras.
 
Brenner foi uma das soluções encontradas por Fernando Diniz quando a pressão sobre o técnico chegou ao auge na temporada após a eliminação na Libertadores e um empate com o Coritiba, um dos piores times do Brasileiro, na sequência.
 
O técnico mudou o esquema, que antes tinha Pablo e Vitor Bueno ao lado de Luciano. O volante Luan entrou para reforçar o meio de campo, e Brenner passou a formar a dupla de ataque com Luciano.
 
O atacante ganhou espaço no Campeonato Brasileiro – teve poucas chances no Paulista, quando fez só um gol, contra o Novorizontino. Na retomada dos jogos após a paralisação causada pela pandemia, também anotou contra Corinthians, Fluminense e LDU.
 
Fonte: GE