Dragões da Real outra vez dá um show no desfile de carnaval

Dragões da Real foi o maior destaque no primeiro dia dos desfiles do Grupo Especial de São Paulo.

A Dragões da Real defendeu o samba-enredo A Revolução do Riso: A arte de Subverter o Mundo pelo Divino Poder da Alegria. A vice-campeã no ano passado foi a terceira a desfilar no Anhembi, neste primeiro dia do Grupo Especial.

Um dos carros exaltou deuses do riso, com referências a Shakespeare e Moliére. Charles Chaplin foi lembrado em outro carro.

Simone Sampaio fez sua despedida após oito anos como rainha de bateria e o carro abre-alas era uma referência a um ataque de risos, com um canhão e emojis.”

Após o fim, um carro ficou preso aos fios de eletricidade da rua e isso afetou o início da Mancha Verde, mas não deve haver punição.

A comissão de frente veio vestida de Saltimbancos, as trupes de artistas de rua que se reuniam para apresentar espetáculos de humor com restos de fantasias e roupas simples.

Além do carro lembrando Chaplin, o último chamou bastante atenção com um tributo aos Doutores da Alegria. A ONG fundada há quase 30 anos leva bom humor a pacientes em hospitais.

O fundador Wellington Nogueira foi duplamente lembrado: em uma grande escultura e como destaque, sambando em um dos pontos elevados do carro.

A escola fundada por torcedores do São Paulo veio com 23 alas, cinco alegorias e 2900 membros. Palhaços, bobos da corte e outras figuras da comédia dominaram o desfile.

Com fantasias lúdicas e coloridas, a Dragões da Real mostrou suas armas para tentar o título inédito do Grupo Especial.

Fonte: G1