Éder Jofre completa 84 anos: esse é o Galo de Ouro tricolor!

O pugilismo esteve em época áurea no Brasil entre os anos 50 e 70, quando um jovem de São Paulo despontou em cima dos ringues e conquistou o mundo. O nome dele todo são-paulinho conhece: Éder Jofre. E no dia de hoje, 26 de março de 2020, o eterno campeão mundial de boxe completa 84 anos de vida.

Nascido em uma família de boxeadores no dia 26 de março de 1936, na Rua Seminário, na capital do estado, Eder conviveu com o esporte desde criança. Por volta dos quatro anos entrou num ringue pela primeira vez, para treinar com o tio Ricardo Zumbano.

A primeira “luta-exibição” foi com a sua própria irmã, Lucrédia Jofre, em circos e academias paulistanas. “Era gozado. As luvas eram enormes, grandonas e vinham até o cotovelo da gente. Quer dizer, as luvas eram normais, nós é que éramos pequenos”, relembrou, Éder, em entrevista ao Arquivo Histórico do São Paulo, em 2011.

 

Éder Jofre tinha seis anos de idade quando o São Paulo comprou do Flamengo um de seus maiores ídolos: Leônidas da Silva. O menino atravessou os anos 40 acompanhando o tricolor: “Eu acho que nasci são-paulino”, assegurou ele, que ainda criança chegou a fazer exibições de boxe com o distintivo do São Paulo no calção. E foi no clube do seu coração que ele começou a carreira de boxeador, tendo como técnico o próprio pai, Kid Jofre.

Como atleta são-paulino, ganhou os primeiros campeonatos paulista e brasileiro que disputou. Ao lado de um outro atleta do tricolor, Adhemar Ferreira da Silva, foi representar o Brasil nas Olimpíadas de 1956, em Melbourne, na Austrália.”

O galinho de ouro Éder Jofre é o maior nome do boxe brasileiro. Campeão Mundial da AMB, dos pesos galos, em 1960. Unificado 1962 e novamente Campeão Mundial, agora como peso pena no CMB, em 1973. Condecorado o melhor peso galo de todos os tempos do CMB em 1983. Indicado ao Hall da Fama do boxe em 1992 e eleito o nono melhor pugilista dos últimos 50 anos pela Revista norte-Americana The Ring. Ao fim de sua carreira, seu cartel apresentava somente 2 derrotas – as duas nas controversas lutas contra o japonês Fighting Harada.

Fonte:  SPFC