Elenco se impressiona com “escolta”: fotos e vídeo

A torcida do São Paulo fez festa antes, durante e depois do clássico com o Santos, neste sábado, no Pacaembu. A vitória por 2 a 1, com gols de Marcos Guilherme e Cueva (Alison marcou para o rival), tornou o dia completo para os tricolores.

Antes do jogo, centenas de torcedores foram ao CT da Barra Funda, onde o elenco estava concentrado, e fizeram uma espécie de escolta do ônibus da delegação do local até o Pacaembu.

Durante o jogo, o apoio dos tricolores também recebeu elogios. Sidão, Hernanes e Marcos Guilherme aprovaram o incentivo. O público pagante foi de 34.461 e o total de 40.004 pessoas, com renda de R$ 954.807,00.

Veja o que os jogadores do São Paulo falaram sobre a festa da torcida:

Sidão
– Nunca vi nada parecido. Ainda mais na situação do time neste ano. Comentei com os caras: “Imagina com esse time numa final de um campeonato importante o que essa torcida pode fazer?” Estão de parabéns. Dedicada a eles essa vitória no clássico.

Marcos Guilherme
– Surreal. Nunca tinha visto isso. Nem em notícias nem ao vivo. Realmente mexeu com todos nós. Não poderíamos vir hoje (sábado) e ter outro resultado que não fosse a vitória para presentear a torcida.

Hernanes
– É algo extraordinário o que a torcida tem feito durante esse período. Uma coisa inédita. Nunca tinha passado por isso: o torcedor desde da saída do CT nos acompanhou. Eu particularmente estava apreensivo, porque, toda vez em que o torcedor teve uma manifestação além do que esperávamos, não conseguimos corresponder à expectativa. Hoje (sábado) foi diferente. Conseguimos uma vitória muito boa e retribuímos o que o torcedor tem feito por nós. Foi espetacular, não parou de cantar. Ouvi os torcedores cantando desde o CT, antes do jogo. Pensei que fossem cansar, mas eles foram incansáveis. Parabéns!

Dorival Júnior
– É um fato interessante: o torcedor são-paulino não nos cobrou nada esse ano. Nós não demos nada ao torcedor nesse ano. Não tínhamos o direito de, de repente, proporcionar uma decepção como essa. Até pela demonstração que estão dando a todos nós. Hoje, o que nós vimos na nossa saída do centro de treinamento foi uma coisa que impressionou. E na contramão da história, de tudo o que temos visto: chegadas de equipe em aeroportos, saídas de centro de treinamento com cobranças, agressões, ataques. A torcida são-paulina, pelo contrário, tem feito outro papel.