Empate no sufoco contra o Inter no Sul


INTERNACIONAL 1 x 1 SÃO PAULO
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/Hora: 21 de agosto de 2016, às 16h
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior-PE
Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite (Ambos de PE)
Público: 23.079 pagantes
Cartões amarelos: Paulão (Internacional); Cueva (São Paulo)
Gols: Cueva, aos 36’/1ºT (0-1) e Mena (contra), aos 39’/2ºT (1-1)
INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Ceará (Andrigo, 31’/2ºT), Paulão, Ernando e Artur; Fabinho, Eduardo, Seijas e Valdívia; Eduardo Sasha (William, 17’/2ºT) e Nico López (Ariel, intervalo). Técnico: Celso Roth.
SÃO PAULO: Denis, Buffarini, Maicon, Lyanco e Mena; João Schmidt, Hudson (Gilberto, 45’/2ºT), Kelvin (Wesley, 12’/2ºT), Cueva e Michel Bastos (Carlinhos, 46’/2ºT); Chavez. Técnico: Ricardo Gomes.


MAICON: Novamente, uma partida quase perfeita. O cara é um gigante na defesa e essa formação com Buffarini e Lyanco é uma das mais promissoras que o Tricolor já teve nos últimos 6 ou 7 anos. Se o treinador souber trabalhar bem esse trio e encaixar com Mena, teremos enfim uma defesa de muito respeito.
DENIS: Um partidaço, defesas dificílimas e uma sequência bem ao estilo paredão que garantiu que o SPFC não saísse dessa partida com uma derrota. Denis realmente soube digerir as críticas e enfim está demonstrando confiança, técnica e bom posicionamento.  Ainda erra o tempo de algumas saídas aqui e acolá, mas não é nada que não possa ser arrumado com treinamento e mais confiança.
LEGIÃO ESTRANGEIRA: Buffarini, Mena, Cueva e Chavez cansaram demais e cometeram erros feios nos últimos 15 minutos de partida, mas é incrível o comprometimento e a garra dos caras em campo. Buffarini fez uma partida muito boa, mas falhou no gol contra de Mena, que também tinha uma ótima atuação. Cueva foi um gigante em campo, marcou o gol de pênalti, mas tomou um cartão amarelo ridículo. Chavez se esforçou muito, mas a bola não chega ao ataque. Entre altos e baixos, o saldo da legião estrangeira neste jogo é positivo.
RICARDO GOMES: Estávamos apostando em Jardine e não esquecemos de como Gomes foi “saído” do clube em 2010. E há a preocupação natural com a saúde do cara, que teve um AVC e precisa lidar com a pressão extrema de um clube como o SPFC, que atualmente tem seus bastidores políticos fervilhando em uma guerra de interesses sem fim. Mas todo mundo sabe não apenas da capacidade, mas também do caráter de Gomes. Ficamos na torcida para que essa estreia tenha sido o começo de uma bela caminhada. Boa sorte, Ricardo Gomes!


MICHEL BASTOS: De cada 10 vezes em que ele recebe a bola, em 9 ele dá um passe pra trás – o 10º passe ele dá pro lado. É impressionante como Michael Bastos deve ter algum tipo de labirintite que impede que ele toque pra frente. Além disso, com ele em campo Mena tem que trabalhar em dobro na cobertura dos contra-ataques e fica sobrecarregado. Enquanto não ajustar isso, vamos jogar praticamente com apenas 10 atletas em campo.