Gabriel Neves brigará por vaga em setor dominado pela garotada

Depois de um flerte no início da temporada, o São Paulo enfim conseguiu a contratação de Gabriel. O meio-campista uruguaio, durante a primeira entrevista pelo novo clube, afirmou que se sente confortável em qualquer posição do setor, hoje dominado por atletas formados na base, em Cotia.

Na temporada 2021, o meio tem Luan, Liziero, Gabriel Sara, Rodrigo Nestor, Igor Gomes e Talles Costa como figuras constantes na formação, além de Martín Benítez, Willian e Shaylon, que perdeu espaço desde o título do Campeonato Paulista.

Ou seja, dos nove meio-campistas à disposição, seis formados no São Paulo concorrem diretamente com Gabriel por uma vaga na equipe titular. O próprio uruguaio elogiou as peças e disse que pretende contar com a ajuda dos garotos de Cotia para se adaptar rapidamente.

– Aqui tem opções boas, quero ajudar e fazer o meu. Todos me trataram muito bem, inclusive quem joga na minha posição. Espero aprender com eles e ajudar no que precisarem – afirmou Gabriel.

Atualmente, Crespo tem utilizado mais Rodrigo Nestor (2.270 minutos), Luan (2.259), Liziero (2.210) e Gabriel Sara (2.047) como meio-campistas. Os quatro estão entre os dez jogadores que mais atuaram pelo São Paulo na temporada.

Diante desse cenário, Gabriel chega ao CT da Barra Funda credenciado pelo interesse já antigo da comissão técnica. Desde a chegada ao São Paulo, Crespo colocou o uruguaio como um objetivo no mercado, mas demorou meses para obter o reforço.

No início do ano, quando o argentino iniciou o trabalho na Barra Funda, o São Paulo esbarrou na pedida elevada do Nacional-URU. Desta vez, porém, os uruguaios aceitaram outra condição de negociação por Gabriel, o que viabilizou a ida para o Tricolor.

Para ter Gabriel, o São Paulo vai pagar 300 mil dólares (R$ 1,5 milhão) para um grupo de empresários que obteve a liberação do Nacional. A quantia será dividida em três parcelas até o fim do ano que vem, quando acaba o compromisso do uruguaio com o clube.

Caso aprove Gabriel e queira permanecer de maneira definitiva com o meia, o São Paulo deve investir 1,7 milhão de dólares (R$ 8,8 milhões) para renovar o compromisso até 31 de dezembro de 2025.

Fonte: GE