Garotada do SPFC atropela o Guarani na Várzea Belmiro

 

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 X 3 SÃO PAULO
Data/Horário: 26/7/2020, às 16h
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Salim Fende Chavez
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Pablo e Deivid (GUA); Diego (SAO)
Gols: Everton, aos 11’/1ºT (0-1); Rafael Costa, aos 43’/1ºT (1-1); Helinho, aos 2’/2ºT (1-2); Paulinho Boia, aos 22’/2ºT (1-3)

GUARANI: Jefferson Paulino, Pablo, Romércio, Bruno Silva e Bidu; Deivid (Marcelo – 29’/2ºT), Eduardo Person (Igor Henrique – 29’/2ºT), Lucas Crispim (Bruno Sávio – 31’/2ºT) e Arthur Rezende (Waguininho – 15’/2ºT); Rafael Costa (Elias Carioca – 32’/2ºT) e Júnior Todinho. Técnico: Thiago Carpini.

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinícius, Diego Costa, Anderson Martins e Léo; Luan, Liziero (Rodrigo Nestor – 27’/2ºT) e Hernanes (Gabriel Sara – 18’/2ºT); Helinho (Danilo Gomes – 37’/2ºT), Everton (Shaylon – 37’/2ºT) e Brenner (Paulinho Boia – 18’/2ºT). Técnico: Fernando Diniz.

 

BOLA CHEIA

  • TIAGO VOLPI: Um monstro! Não tem outra palavra para definir esse cara: monstro! Não estamos falando aqui de um goleiro que tem boa atuação e duas ou três defesas difíceis, mas de oito em um único jogo. Foram oito defesas muito difíceis, do tipo que só goleiro de primeira linha consegue fazer. É realmente tranquilizador saber que enfim nosso Tricolor encaixou um substituto decente para Rogério Ceni, depois de tantas tentativas desastrosas (Denis, Sidão, Renan Ribeiro, Jean…). Parabéns, Volpi!
  • MOLECADA: Que safra, hein! Diego Costa, Luan, Rodrigo Nestor, Gabriel Sara, Danilo Gomes e Paulinho Bóia tiveram suas chances. Isso sem falar nas crias da Base que já possuem mais rodagem, como Liziero, Shaylon, Helinho e Brenner. Com exceção de Brenner ― que definitivamente não vai mesmo ser o que se esperava dele anos atrás e continua apático, parece ter perdido o gosto por jogar futebol ―, todos os outros demonstraram personalidade em campo. Desta vez, merecem destaque Diego Costa (muito firme na defesa), Luan (é do tipo “carregador de piano”, joga pro esquema), Helinho (chutes muito competentes a gol) e o surpreendente Paulinho Boia, um moleque muito bom de bola que já merece mais chances no time de cima. Que bela safra de Cotia!

 

BOLA MURCHA

  • ANDERSON MARTINS: Era ruim antes da pandemia. Depois de 120 de paralisação do futebol, voltou ainda pior. O cara está mais perdido, mais atrapalhado, mais confuso e mais desorientado do que nunca. A gente sabe que ele não está nos planos de Diniz para 2021, mas até hoje nunca entendemos como contraram esse cara pro SPFC.
  • BRENNER: Teve todas as chances do mundo no time titular do SPFC, na reserva, no Fluminense. Mas nunca mostrou o futebol brilhante que tinha na Base. Nunca mesmo. Jamais teve sequer uma atuação no time profissional que justificasse tudo que se esperava dele, quando era considerado “Joia da Base”. É uma pena, pois o garoto era um verdadeiro Messi na Base, mas limita-se a ser no máximo um Paulo Miranda no time profissional. Uma pena mesmo.