Jogadores mesclam funções e abrem opções para Diniz

A derrota do São Paulo para o Santo André, no último domingo, pela quinta rodada do Campeonato Paulista, ao menos mostrou um ponto positivo na equipe comandada por Fernando Diniz: a polivalência dos jogadores.

Com o placar adverso de 2 a 0 ao fim do primeiro tempo, Diniz voltou para a etapa final com duas mudanças. O lateral-direito Juanfran deu lugar ao também lateral-direito Igor Vinicius, e o zagueiro Anderson Martins saiu para a entrada do atacante Everton.

As modificações fizeram com que o Tricolor tivesse apenas um zagueiro em campo, no caso Arboleda. O treinador, então, colocou em prática alguns testes que realizou durante a pré-temporada:

  • O lateral-esquerdo Reinaldo se tornou zagueiro e passou a atuar ao lado de Arboleda, pelo lado esquerdo do campo;
  • O atacante Everton, por sua vez, assumiu o posto de Reinaldo e passou a ser o lateral-esquerdo. A ideia de Fernando Diniz era ganhar mais profundidade e velocidade por aquele lado do campo;
  • Daniel Alves, que vinha atuando como segundo volante no primeiro tempo, passou a ser o primeiro volante e era quem dava a qualidade na saída de bola;
  • Tchê Tchê, então, tornou-se o segundo volante e chegou muitas vezes na área. A função era feita pelo jogador no ano passado;
  • Aos 26 minutos, o meia Hernanes deu lugar ao centroavante Brenner. Alexandre Pato foi recuado para segundo atacante e teve boas participações nas assistências para finalizações.

As mudanças surtiram efeito, e o São Paulo tomou conta do segundo tempo. O time criou boas oportunidades, principalmente pelo lado esquerdo, onde as maiores alterações foram realizadas. A falta de pontaria, no entanto, impediu que o Tricolor buscasse o empate. O único gol saiu de bola parada, marcado por Daniel Alves.

Essa não foi a única vez que Fernando Diniz testou jogadores em funções diferentes. No ano passado, o volante Luan atuou como zagueiro na última rodada do Campeonato Brasileiro. Daniel Alves, por sua vez, chegou a atuar como ponta-direita.

No elenco, Diniz ainda tem outros jogadores que podem desempenhar outras funções além das suas de origem. São os casos de:

  • Liziero: pode ser tanto volante como meia armador;
  • Walce: é zagueiro de ofício, mas pode ser aproveitado com volante e lateral-direito. Fez as funções com o técnico Cuca;
  • Rodrigo Nestor: recém promovido ao elenco profissional, o jogador revelado pelas categorias de base pode ser volante e meio-campista;
  • Diego: no sub-17 do Tricolor atuou como volante, mas no sub-20 foi zagueiro e agora pode ser aproveitado nas duas posições.

Fonte: Globo Esporte