O que acontece com Orejuela? Por que ainda não vingou no SPFC?

Contratado para ser uma das soluções da lateral direita do São Paulo, Orejuela ainda não conseguiu ter uma sequência com Hernán Crespo. Na maioria dos jogos, é preterido até do banco de reservas.

Devido ao alto valor investido em 50% dos direitos econômicos no Cruzeiro, a falta de oportunidades gerou estranhamento na torcida. Afinal, por que Orejuela não ganha chances?

Alguns motivos explicam a opção do treinador em utilizar Igor Vinicius ou algum outro jogador na maioria das vezes em que Daniel Alves, titular da lateral direita, não esteve presente.

O primeiro deles é justamente a mudança de posição de Daniel Alves. Até a temporada passada, o camisa 10 atuava como meio-campista. Foi um desejo do próprio jogador, por entender que naquela função poderia ser mais útil aos companheiros.

Com a chegada de Crespo, porém, um sistema com três zagueiros foi implementado, e Daniel Alves passou a atuar como ala-direito. A função agradou ao jogador, que tomou conta da posição e inclusive abriu caminho para novas convocações para a seleção brasileira – o veterano foi campeão olímpico como lateral.

Essa alteração fez Orejuela ter que se redobrar para ganhar uma vaga no time titular – afinal, ele passou a disputar posição com um dos líderes do elenco, constantemente convocado por Tite.

As possibilidades remotas de figurar entre os titulares desmotivaram Orejuela. A comissão técnica e até a diretoria conversam constantemente com o jogador para que ele se sinta importante no elenco, conforme confidenciou o diretor de futebol Carlos Belmonte em entrevista ao canal Arnaldo e Tironi, no YouTube.

Para amenizar a situação, Orejuela já teve conversas com Crespo e com Muricy Ramalho, coordenador de futebol do São Paulo.

Atualmente, na avaliação da comissão técnica, o colombiano também perdeu espaço pelo crescimento técnico de Igor Vinicius, que se tornou a primeira alternativa do São Paulo para a ausência de Daniel Alves.

A timidez de Orejuela, no entanto, tem impedido que ele se solte no dia a dia. Relatos de pessoas que convivem com o jogador no CT da Barra Funda indicam que ele tem dificuldades de adaptação no clube. Mesmo com um grande número de estrangeiros, ele não consegue “entrar no clima” do CT.

O São Paulo ainda acredita que Orejuela possa dar a volta por cima. Há uma convicção dentro do clube de que o atleta conquistará espaço no elenco. Nas oitavas de final da Copa do Brasil, diante do Vasco, ele foi utilizado nos dois jogos e se destacou na partida de volta. Um dos gols saiu com uma assistência sua.

Em uma entrevista coletiva recente, Orejuela rebateu as versões da timidez e de que tem dificuldades de adaptação. Para ele, a lesão no começo da temporada foi o principal empecilho para o momento vivido.

Dos 49 jogos disputados pelo São Paulo na temporada, o lateral participou de somente oito. Além de dar uma assistência, Orejuela anotou um gol pelo Tricolor, no empate por 1 a 1 com o Rentistas, pela Libertadores, justamente no confronto que marcou a estreia do colombiano pelo clube.

Fonte: GE