O que mudou no SPFC desde o último jogo da Libertadores, há 6 meses?

O São Paulo volta a disputar uma partida de Libertadores nesta quinta-feira, às 19h, no Morumbi, após seis meses de paralisação do torneio. O adversário será o River Plate, que terá pela frente um Tricolor completamente modificado em comparação àquele que o time argentino enfrentaria no primeiro semestre.

A última partida do São Paulo na competição foi no dia 11 de março, diante da LDU. A vitória por 3 a 0 marcou a afirmação de uma equipe que começava a se encaixar no estilo proposto pelo técnico Fernando Diniz.

Escalação contra a LDU: Tiago Volpi, Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Vitor Bueno, Alexandre Pato e Antony.

O Morumbi com mais de 39 mil pessoas naquela quarta-feira viveu uma noite de conexão entre equipe e time que chegou a ser exaltada muitas vezes pelo técnico Fernando Diniz.

A pandemia do novo coronavírus, porém, freou essa ascensão do Tricolor, que agora tem um time completamente diferente daquele que dava sinais de evolução. Depois da volta do futebol, a equipe demorou a engrenar e passou por vexame no Paulistão ao ser eliminada pelo Mirassol.

No elenco, muita coisa também mudou:

  • Antony se transferiu para o Ajax, da Holanda;
  • Everton foi envolvido em uma troca com o Grêmio por Luciano;
  • Alexandre Pato e Anderson Martins rescindiram o contrato;
  • Paulinho Boia e Rodrigo Freitas foram reintegrados ao elenco. O primeiro, inclusive, briga por uma vaga no time titular;
  • Bruno Alves, Arboleda e Juanfran perderam suas condições de titulares para Diego Costa, Léo e Igor Vinicius, respectivamente;
  • Patryck, lateral-esquerdo do sub-17, foi promovido aos profissionais.

As mudanças aconteceram, principalmente, pela eliminação nas quartas de final do Campeonato Paulista e o início irregular no Campeonato Brasileiro. O atual miolo de zaga tem sete jogos junto,com quatro vitórias, uma derrota e dois empates.

E se a defesa tem se destacado e não é um problema neste momento para Fernando Diniz, o mesmo não pode se dizer do ataque. Por conta de lesões e suspensões, o treinador pode ter que mudar completamente todo seu sistema ofensivo.

Luciano, um dos principais nomes do ataque no último mês, cumpre suspensão de três jogos após se envolver em uma briga na competição quando ainda era jogador do Grêmio e não atua.

Pablo, artilheiro do elenco no ano, ainda é dúvida por conta de uma lesão no abdômen (ele voltou a treinar na segunda).”

Já no meio de campo, o São Paulo não conta com Daniel Alves, o camisa 10 e um dos líderes no elenco. O jogador está em tratamento de uma fratura no antebraço direito e deve retornar apenas no fim deste mês.

Com essas inúmeras mudanças, o Tricolor tenta resgatar o ritmo apresentado antes da paralisação da Libertadores para buscar a classificação para as oitavas de final. Com três pontos, o time é o vice-líder do Grupo D – perdeu do peruano Binacional na estreia e depois venceu a LDU na segunda rodada.

Fonte: GE