Os mesmos de sempre fazem SPFC dar vexame

ficha
wesley_dest161031AMÉRICA-MG 1 x 0 SÃO PAULO
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 31/10/16 – 20h
Árbitro: João Batista de Arruda – RJ; Assistentes: Michael Correia – RJ e Joao Luiz Coelho de Albuquerque – RJ
Cartões amarelos: Mena (SAO); Gols: Michel 26’1ºT (1-0)
AMÉRICA-MG: João Ricardo; Christian, Messias (Maktom 15’2ºT), Éder Lima e Ernandes; Juninho, Leandro Guerreiro; Tony, Danilo Barcelos; Matheusinho (Renato Bruno 46’2ºT) e Michael (Claudinei 31’2ºT). Técnico: Enderson Moreira.
SÃO PAULO: Denis, Wesley, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres, Kelvin (Pedro 15’2ºT) e Chavez (Luiz Araújo 31’2ºT). Técnico: Ricardo Gomes.

cheia
CUEVA: Uma ilha de talento num mar de Wesleys. Foi o único fôlego do time, o único respiro de empenho para atacar. Saiu de campo exausto, pois praticamente jogou sozinho. Se Cueva não estivesse em campo, o SPFC talvez ficasse tocando a bola em seu campo de defesa até o jogo acabar.
CHAVEZ: Não, ele não fez gol, mas se esforçou demais e sofreu mais uma substituição estúpida de Ricardo Gomes, que tirou argentino para colocar o fraco Pedro. Mas o Bola Cheia pra Chavez vai pela sua atitude fora de campo. Ele está em má fase, a bola não entra, mas não reclama de nada, aceita as críticas, fica todo dia depois do treino tentando se aprimorar e ainda elogia seu concorrente direto, o Pedro. Aí a gente compara com o Sr. Migué, que não admite ser criticado, manda a torcida calar a boca e pede para ir embora quando está em fase ruim e passa a ser questionado até pela comissão técnica. É, Sr. Migué, aprenda uma lição de hombridade com Chavez!

murcha
OS MESMOS DE SEMPRE: Wesley é uma aberração e só os deuses do Olimpo dos empresários explicam como ele tem um salário milionário (que era maior do que o salário do Ganso!) — nesta partida, foi por um erro grosseiro dele que surgiu o contra-ataque para o gol dos mineiros; Thiago Mendes é fraco demais e não mostra futebol para estar em time grande; João Schmidt é fraquíssimo nos fundamentos, não acerta passe de 3 metros e deveria voltar aos treinos com cones para ver se aprende a passar a bola; Denis é um goleiro entre mediano e fraco, outra vez falhou feio no gol que causou a derrota após (mais uma) lambança de Wesley; Mena e Rodrigo Caio são jogadores de seleções nacionais e nunca vamos entender como eles foram parar lá.
DAVID NERES: A fase é tão ruim que basta o garoto fazer um bom jogo e já é chamado de “xodó”, vira “craque” da noite pro dia. Aí vem o choque de realidade: Neres perdeu três gols inacreditáveis e ainda deu uma furada monumental em uma quarta chance debaixo do gol. Se Neres tivesse feito metade dos gols absurdos que perdeu, o SPFC teria vencido. Se tivesse feito todos, seria goleada. O garoto é muito novo ainda, não dá pra jogar toda esperança nele e esse jogo mostrou que ele ainda precisa amadurecer muito — e treinar fundamentos básicos (como, aliás, todo o resto do time!).
RICARDO GOMES: A impressão que dá é que o esquema de jogo de Ricardo Gomes é o “Bobinho”, aqueles toquinhos pro lado que os atletas fazem durante os treinamentos. O time não tem esquema nenhum, não tem cara, não tem raça, não tem nada! Ricardo Gomes não faz diferença nenhuma no banco. Aliás, faz sim: ele faz a diferença quando resolver fazer alguma substituição, pois não acerta uma sequer. A gente sabe que ele não é burro, por isso nunca entenderemos porque ele sempre tira um jogador que está bem para colocar um péssimo e porque sempre troca de posições para o lado errado. É aterrador como Gomes não acerta nenhuma substituição. Nunca!

video