Outro empate sem raça e sem empenho

carlinhos161006SPORT 1 X 1 SÃO PAULO
Local: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data-Hora: 5/10/2016 – 21h45
Árbitro: Rafael Traci (PR); Auxiliares: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Luciano Roggenbaum (PR)
Público/renda: 11.424 torcedores/R$ 181.170,00
Cartões amarelos: (SPT), Buffarini, Michel Bastos (SAO)
Gols: Thiago Mendes (25’/1ºT) (0-1), Diego Souza (42’/1ºT) (1-1)
SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Renê; Rithely, Paulo Roberto, Gabriel Xavier (Vinicius Araújo, no intervalo), Everton Felipe (Apodi, aos 13’/2ºT) e Diego Souza; Rogério (Edmílson, aos 32’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.
SÃO PAULO: Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Matheus Reis (Buffarini, no intervalo); Hudson; Kelvin (Jean Carlos, aos 19’/2ºT), Thiago Mendes (João Schmidt, aos 30’/2ºT), Michel Bastos e Carlinhos; Chavez. Técnico: Ricardo Gomes.


BUFFARINI: O melhor jogador em campo. A entrada dele mudou completamente a dinâmica das laterais, fechou o buraco deixado pela Avenida Matheus Reis e ainda se tornou a única opção de contra-ataque.
MAICON: Como é bom ver esse cara em campo! Seguro, sério, não brinca em serviço, não faz firulas (como Rodrigo Caio, por exemplo), dá segurança para a defesa. Uma boa partida, como sempre.


MICHEL BASTOS: Ele estava sendo poupado porque estava “sem confiança”, segundo seus paparicadores da comissão técnica. Mas precisa de “confiança” pra correr em campo ganhando o salário que ele ganha? Michel Bastos é aquele tipo de jogador que derruba a moral do time, se arrasta em campo, toma cartão besta por jogar a bola pra cima depois da jogada parar, só toca a bola pro lado ou pra trás e fica desesperado pedindo pra terminar o jogo quando dá os 45 minutos, mesmo que o resultado seja péssimo pro SPFC. Será que é por isso que os jogadores são tão acomodados? Quando Kaká estava no time, ele dava exemplo, corria muito, se esforçava, mesmo quando não jogava bem influenciava positivamente os companheiros. Michel Bastos faz exatamente o contrário: o time parece conformado e apático quando ele está em campo. Michel Bastos é uma influência muito negativa, uma espécie de câncer que afeta o elenco inteiro. E câncer precisa ser extirpado para não matar o paciente. Extirpem esse câncer do nosso time, pelo amor de Deus!
JEAN CARLOS: Muitas vezes nos últimos dois anos a gente se perguntou: “Meus Deus, quem contratou essa merda?” Aí essa “estrela” da Série B entra em campo e parece um palhaço de circo, errando todos os passes, pisando na bola, correndo sempre pro lado errado… A gente gostaria de saber que poção mágica os empresários de gente como Jean Carlos possuem para conseguir emplacar esse tipo de jogador em um time grande. A gente torce para que seja apenas uma primeira impressão, mas pela estreia a gente já imagina um cara no nível de Paulo Miranda, Edson Silva, Tolói, Reinaldo, Wallyson, Wesley, Carlinhos, Lucão… Nossa, junta isso tudo aí e não teria time pra ganhar nem do Ratatá FC, de Heliópolis…
MENTALIDADE DE TIME PEQUENO: Nas últimas 19 partidas, o SPFC só ganhou 5 – e todas de time que estão na Zona de Rebaixamento ou grudados a ela (exceto o Juventude, que é da Série C). Nos últimos 5 jogos, o SPFC só fez dois gols. Ainda assim, jogar contra esses times desesperados parece até clássico, com os jogadores do SPFC tocando a bola pro lado e fazendo o tempo passar para “garantir um empate”. Aí você olha em campo e vê Carlinhos, Thiago Mendes, Wesley (que graças a Deus não jogou), Bruno, João Schmidt, Jean Carlos, Matheus Reis, Hudson (sendo que os erros grosseiros desses dois últimos foram responsáveis diretos pelo gol do Sport)… Meu amigo, bate um desespero! Você olha pro banco e vê Ricardo Gomes como técnico e olha para as estatísticas e vê toda semana um jogador se lesionando sozinho e diversos deles ostentando barriguinhas inaceitáveis para atletas profissionais. E pode anotar no relógio: aos 30 minutos de todo segundo tempo o time começa a se arrastar em campo sem preparo físico para mais nada. E já estamos “cantando esta bola” há muito tempo aqui no site! Enquanto isso, a diretoria fica todo dia em guerra política eterna nos bastidores, mudando de diretores como se muda de roupa de treino. Pode anotar aí: se em 2017 continuarmos com esse elenco, com esse técnico, essa comissão técnica e essa diretoria, tudo que está acontecendo neste ano vai piorar muito. Muito mesmo.