Pablo não se ilude com a boa fase: ‘Se não fizer, vão cobrar’

Pablo é a principal novidade do São Paulo após o retorno do futebol. Com a saída de Antony, vendido ao Ajax, da Holanda, o atacante assumiu a titularidade pelo lado direito e foi o destaque do Tricolor na derrota para o Red Bull Bragantino, tendo marcado os dois gols da equipe.

Na segunda-feira, o atacante foi o convidado especial do programa Gazeta Esportiva, da TV Gazeta, e comentou sobre seu desempenho oscilante desde que chegou ao Morumbi. Contratado em 2019, o jogador sofreu com duas lesões graves na temporada passada.

“Fui contratado depois de ser artilheiro e campeão da Copa Sul-Americana, tendo feito muitos gols pelo Athletico-PR em 2018. Então, sabia que teria uma pressão muito grande. O ano de 2019 foi atípico na minha carreira, com uma grave lesão na coluna, fiquei muito tempo fora. Quando volto contra o Palmeiras, faço um gol mas tenho uma nova lesão, dessa vez no tornozelo. Neste ano, comecei muito bem, fazendo gol contra o Água Santa, fazendo bons jogos, dando assistências, mas o gol não estava saindo”, afirmou Pablo.

É algo natural do atacante, não é uma coisa que nunca vai acontecer, isso de fazer gol em todos os jogos a gente sabe que é difícil de acontecer. Naquele jogo contra o Santos, antes da pandemia, a confiança veio a todo o vapor, fiz dois gols, estava muito feliz, mas infelizmente veio tudo aquilo, ficamos muito tempo parados”, completou.

Por fim, Pablo prefere não se empolgar com a boa fase no Tricolor e lembra que os atacantes precisam sempre lidar com a exigência por gols marcados.

“Você é cobrado por perder gols, por não marcar. Tive a felicidade de marcar os dois gols (contra o RB Bragantino), pena que saímos com a vitória. Mas sei que serei cobrado quando não fizer os gols. Se quarta-feira não fizer gols, vão cobrar. Isso é algo que o atacante tem que estar acostumado”, finalizou o jogador.

Fonte: ESPN