Placar e nota: SPFC fica no zero contra o Grêmio no Morumbi

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0x0 GRÊMIO
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 17/10/2020 – 21h
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro (SC) e Helton Nunes (SC)
Público/renda: Portões Fechados
Cartões amarelos: Daniel Alves, Vitor Bueno, Igor Gomes e Luan (São Paulo); Geromel e Kannemann (Grêmio)

SÃO PAULO (Técnico: Fernando Diniz) Tiago Volpi; Daniel Alves, Diego Costa, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê, Gabriel Sara (Vitor Bueno, aos 33’/2ºT) e Igor Gomes (Vitor Bueno, aos 19’/2ºT); Brenner (Paulinho Bóia, aos 33’/2ºT) e Luciano (Tréllez, aos 42’/2ºT)

GRÊMIO (Técnico: Renato Portaluppi) Vanderlei; Orejuela, Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Matheus Henrique, Maicon (Jean Pyerre, aos 26’/2ºT) e Alisson (Thaciano, aos 14’/2ºT); Isaque (Lucas Silva, aos 26’/2ºT), Luiz Fernando (Ferreira, aos 21’/2ºT) e Pepê.

 

BOLA CHEIA

  • DIEGO COSTA: O garoto tá jogando um bolão, a gente já sabe. Mas tem partida que ele parece crescer mais. Um paredão na defesa, forte nas bolas aéres, preciso na marcação e, vez por outra, inicia um contra-ataque com passes certeiros. Esse garoto é realmente uma joia de Cotia e se encaixou perfeitamente fazendo dupla com Bruno Alves.

 

BOLA MURCHA

  • DANIEL ALVES: Não é todo dia que o craque milionário está bem. Ele errou três saídas de bola ridículas que quase terminaram em gol do adversário, mas a cereja do bolo foi a cobrança de falta aos 40’ do segundo tempo: em cima da linha da grande área. Ele tinha opção de tocar pro lado (tinha jogador livre) ou bater colocado. Mas ele chutou a bola pra fora do estádio. Uma cobrança de falta digna de um Paulo Miranda. Fora isso, cometeu muitas faltas bobas e errou passes a torto e a direito. Mas quem disse que o treinador tira de campo o “dono” do time?
  • PROF. PARDAL: Qual a utilidade de sempre fazer aos 42’ do segundo tempo as substituições que poderiam mudar o jogo? Pior: não tira de jeito nenhum o craque milionário que estava péssimo em campo, mas enche o time de atacantes sem ninguém para municiá-los. De quebra, ainda manda seus atacantes voltarem para buscar a bola nos pés de Tiago Volpi e partirem pro ataque. Em que planeta vive o Prof. Pardal? Ele certamente seria um bom treinador de um time dos X-Men, com jogadores que nunca se cansam e que voam da defesa pro ataque. Entre os seres humanos normais, ele é só um inventor que insiste de maneira patológica com a saída de bola em câmera lenta que nunca dá em nada. O placar do jogo foi também a nota do time e do treinador: zero.

(por Demétrio Valente)