Por que a diretoria optou por Gomes?

Ricardo Gomes aceitou a proposta do São Paulo para substituir Edgardo Bauza. O técnico, que deve ser anunciado ainda neste sábado, começa a trabalhar no início da próxima semana. Depois de deixar boa impressão em sua primeira passagem pelo Morumbi, terá a missão de organizar a retomada da equipe na temporada.

O comandante treinou o Tricolor há seis anos. Na ocasião, tirou o time da 16ª colocação do Campeonato Brasileiro de 2009, brigou pelo título e terminou em terceiro. Já na Libertadores do ano seguinte, foi semifinalista, caindo diante do Internacional. Logo após a eliminação, não teve seu contrato renovado e deixou o clube.

O trabalho foi bem avaliado por Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, que era vice de futebol e atualmente está na presidência do São Paulo. Em seu retorno, Ricardo Gomes tentará colocar em prática conceitos de seu trabalho no Botafogo, que, antes do Tricolor, já havia chamado atenção do Cruzeiro no início do ano.

O time carioca figura na zona de rebaixamento neste momento, mas a avaliação geral é de que o cenário seria pior sem Ricardo Gomes. O treinador conseguiu dar padrão aos alvinegros, montando uma equipe competitiva que venceu a Série B do ano passado e ficou com o vice do Carioca deste ano.

Desde a semifinal estadual, aliás, o comandante estruturou sua equipe com três volantes na maior parte dos jogos. Segundo ele, a formação não indica uma postura mais defensiva, pois a trinca formada por Airton, Lindoso e Bruno Silva sabe jogar com a bola nos pés.

É possível, portanto, fazer referência ao São Paulo montado por André Jardine na vitória sobre o Santa Cruz, por 2 a 1, na última rodada. O interino escalou João Schmidt, Hudson e Thiago Mendes, adotando a mesma filosofia, e mostrou resultado dentro de campo. Mais consistente na defesa, o Tricolor apresentou bom volume de jogo no ataque.

No time botafoguense, Ricardo Gomes teve dificuldades para encontrar um meia que pudesse dar suporte aos dois atacantes. Encontrou a solução recentemente, com a chegada de Camilo. Na frente, o sofrimento foi semelhante, rodando vários jogadores pelo setor.

A falta de qualidade no elenco alvinegro, aliás, é o que favorece a avaliação do trabalho do treinador. Apesar da impaciência da torcida com a evidente falta de resultados, a impressão era de que o comandante fazia o melhor com o que tinha em mãos.

Sem reforços de peso, Ricardo Gomes deu espaço à garotada em General Severiano, algo que também ganhará respaldo para fazer no CT da Barra Funda. Na Série B do ano passado, bancou o zagueiro Emerson. Na pré-temporada deste ano, viu Ribamar chegar para completar os treinamentos e efetivou o atacante.

A filosofia se aproxima ao trabalho realizado no São Paulo até agora. A equipe do Morumbi, que foi comandada interinamente pelo treinador do sub-20, tem atualmente em seu elenco profissional dez jogadores revelados na base: Léo, Auro, Lyanco, Rodrigo Caio, Matheus Reis, Artur, João Schmidt, Lucas Fernandes, Luiz Araújo e Pedro Bortoluzzo.

Neste domingo, o São Paulo recebe justamente o Botafogo, no Morumbi, às 16h15, pela 20ª rodada do Brasileirão. André Jardine ainda comanda o Tricolor e logo depois passa o bastão ao substituto começar uma nova era à frente da equipe.

[Globo Esporte]