Sem concorrência, Volpi será o atleta com mais minutos no Brasileiro

Sob questionamentos de parte da torcida, mas sem concorrência, o goleiro Tiago Volpi, do São Paulo, deve se tornar o jogador que mais tempo esteve em campo no Campeonato Brasileiro nesta quarta-feira.

Para isso, bastará ficar em campo até os 38 minutos do segundo tempo contra o Athletico-PR, rival da 34ª rodada, em partida marcada para o Morumbi, a partir das 21h30.

Volpi foi titular nos 33 jogos anteriores do São Paulo e permaneceu em campo em todos os minutos – somados os acréscimos, são 3.281 minutos no total, segundo levantamento do Espião Estatístico.

Só Everson, goleiro do Atlético-MG, esteve mais tempo em campo, com 3.363 minutos – o atleta do líder, porém, já atuou em 34 jogos.

O cálculo considera os acréscimos de cada partida no total.

Titular absoluto do São Paulo há três anos, Volpi cometeu falhas importantes nesta temporada que criaram pressão de torcedores.

Foram erros que influenciaram as eliminações do time nas quartas de final da Copa do Brasil, contra o Fortaleza, e nas quartas de final da Libertadores, contra o rival Palmeiras.

A falta de concorrência interna, porém, nunca permitiu que Volpi tivesse sua titularidade sob risco.

Seu reserva, Lucas Perri, jogou seis partidas na temporada, quando o titular foi poupado – a última vez foi na derrota por 3 a 2 para o 4 de Julho, em junho, na estreia do São Paulo na Copa do Brasil. Thiago Couto, o terceiro goleiro, ainda não entrou em campo.

A pressão sobre Volpi obrigou o diretor de futebol, Carlos Belmonte, logo após a eliminação para o Fortaleza, a declarar apoio a Volpi e a negar a intenção do clube de contratar um novo atleta para a posição.

Com a contratação de Rogério Ceni para substituir o ex-técnico Hernán Crespo as especulações não diminuíram. O treinador já negou em entrevista que tenha indicado o goleiro Felipe Alves, com quem trabalhou no Fortaleza, para reforçar a equipe.

Volpi chegou ao São Paulo para a temporada de 2019 e ocupou o vazio deixado com a aposentadoria do hoje técnico Ceni, que se aposentou do gol tricolor em 2015.

Nenhum goleiro jogou tanto na posição depois da saída de Ceni quanto Volpi. As boas atuações no primeiro ano de São Paulo levaram a diretoria a investir US$ 5 milhões (cerca de 23 milhões, na época) para comprar os direitos do jogador, até então emprestado pelo Querétaro, do México.

Contra o Athletico-PR, Volpi vestirá a camisa do São Paulo pela 184ª vez.

Fonte: GE