SPFC contra tudo e contra todos vence Bahia na raça no Morumbi

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

SÃO PAULO 1 X 0 BAHIA
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 8 de setembro de 2018, sábado
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Público: 43.555 torcedores
Renda: R$ 1.696.417,50 (bruta) / R$ 1.282.305,00 (líquida)

GOL: SÃO PAULO: Diego Souza, aos 14 minutos do 2T

SÃO PAULO: Sidão; Régis (Liziero), Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Hudson e Nenê; Joao Rojas, Diego Souza e Everton Felipe (Tréllez)
Técnico: Diego Aguirre

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Everson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton (Elber), Flávio e Vinícius (Edigar Junio), Zé Rafael e Gilberto (Clayton)
Técnico: Enderson Moreira

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • NENÊ: É fato incontestável que Everton e Nenê são dois dos principais protagonistas do atual SPFC. Sem Everton no jogo, Nenê tinha a missão de ser “o cara” da partida, ele aceitou e cumpriu a missão com louvor. No primeiro tempo, quando o time parecia meio adormecido em campo, Nenê chegou a berrar com os homens de defesa pedindo atenção e empenho. No segundo tempo, soltaram o monstro de vez e Nenê literalmente carregou o time nas costas em busca desses três pontos: comandou ataques e contra-ataques, correu como um garoto de 18 anos, atacou de ponta nas laterais, quase fez gol olímpico em duas cobranças de escanteio e, de quebra, merece 50% dos créditos pelo gol da vitória. Uma atuação de gala!
  • DIEGO SOUZA: Para compensar a expulsão que o deixou de fora na última partida, Diego Souza parecia literalmente outro jogador em campo. Elétrico, participativo, empenhado, atuou com raça, infernizou os adversários, incendiou a torcida, atuou com imenso curativo na cabeça e fez um gol de cara que sabe finalizar como poucos. Quando o atleta atua com esse empenho, mesmo que perca gols, a torcida jamais vai reclamar, pode ter certeza. Assim como Nenê, Diego Souza teve uma atuação de gala!
  • AGUIRRE: O time não fez um bom primeiro tempo, mas Aguirre deu a Everton Felipe e a Régis a chances que ambos esperavam. Infelizmente, nenhum dos dois correspondeu, Aguirre percebeu isso e promoveu a mudança aos 10 minutos do segundo tempo, colocando Liziero no lugar de Régis e Tréllez no lugar de Everton Felipe. Bastaram quatro minutos depois da mudança para sair o gol da vitória e o SPFC voltar a atuar como o líder do campeonato, mesmo sem Everton e sem Kingnaldo em campo. Aguirre tem administrado com maestria os desfaques do time e, ainda que não dê para fazer milagres, o uruguaio tem conseguido resultados realmente surpreendentes. Parabéns, professor!
  • EMPENHO DE TODO O ELENCO: Mesmo com altos e baixos, mesmo com alguns jogadores não rendendo o que se espera e com algumas gritantes diferenças ténicas entre eles, uma coisa a torcida jamais pode reclamar desse elenco: falta de empenho. O time joga com muito empenho e enfim temos um elenco competitivo, que briga de igual com qualquer um e que se une internamente em busca do objetivo. O fato é que o SPFC vem lutando contra tudo e contra todos neste campeonato: de arbitragens que prejudicam enormemente o time até lesões e suspensões que desfalcam o grupo em partidas vitais. O Tricolor rema contra a maré e se mantém no topo. Sim, é lógico que há atletas que jamais serão unanimidade (nem precisa falar do Sidão, né…), mas o momento agora é de a torcida fechar ainda mais com o time e apoiar como nunca, pegar leve nas críticas (deixa que a imprensa gambazística faz isso muito bem), pois o empenho e a seriedade com a qual esse grupo está jogando merece todo nosso respeito.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • ARBITRAGENS: Quando a quantidade de coincidências começa a afetar diretamente a classificação do topo da tabela do Brasileirão, a gente começa a ficar incomodado. Quando o Flamengo brigava pelo topo, todo jogo tinha juiz carioca complicando a vida do SPFC; Depois, quando o Inter-RS entrou nessa briga, escalam juiz gaúcho que comete erros grosseiros que tiram o SPFC desse topo da tabela. Neste jogo contra o Bahia, depois de muita reclamação do SPFC, escalaram um juiz goiano e curiosamente não teve nenhum lance polêmico, nenhum absurdo prejudicando o SPFC. Mas é tudo só coincidência, viu? É a mais pura e verdadeira coincidência.
  • EVERTON FELIPE: Ganhou uma chance de ouro de começar como titular e mostrar que merece mais espaço. Mas o que vimos foi uma atuação muito abaixo do esperado. Sinceramente, não é nenhum exagero dizer que não lembramos de um único passe certo de Everton Felipe nesta partida. Nenhum mesmo. E nem vamos falar dos constantes erros de posicionamento, afinal, isso pode ser apenas falta de entrosamento. Esperamos pode ver uma boa atuação do cara, pois queremos muito estar errados sobre essa primeira impressão que o garoto deixou.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]VÍDEO[/perfectpullquote]