SPFC é roubado na cara-dura e perde pro Lanús na Argentina

 
FICHA TÉCNICA
LANÚS 3 X 2 SÃO PAULO
Local: estádio La Fortaleza, em Buenos Aires (ARG)
Data: 27 de outubro de 2020, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Chrystian Ferreyra (URU)
Assistentes: Horacio Ferreiro (URU) e Santiago Fernandez (URU)
Gols: Brenner, aos 12 do 1ºT e aos 41 do 2ºT (São Paulo); Sand, aos 7 e aos 38 do 2ºT, e Quignón, aos 46 do 2ºT (Lanús)
Cartões amarelos: Facundo Pérez, Aguirre, Quignón, De La Vega (Lanús); Igor Gomes (São Paulo)
LANÚS: Morales; Leonel Di Plácido, Thaller, Burdisso y Alexandro Bernabei; Facundo Pérez (Belluschi), Tomás Belmonte, Lucas Vera (Quignón) e Aguirre (Orozco); Pedro De la Veja e José Sand. Técnico: Luis Zubeldía.
SÃO PAULO: Tiago Volpi; Tchê Tchê, Diego Costa, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Igor Gomes (Pablo) e Gabriel Sara (Vitor Bueno); Brenner e Luciano. Técnico: Fernando Diniz.
 
 
BOLA CHEIA
  • BRENNER: O garoto vai acabar recuperando o apelido que tinha nos tempos da Base: “Máquina de Gols”. Brenner fez dois e teve um mal anulado nesta partida. Muito mal anulado. Aliás, pode-se dizer sem medo de errar que a falta do VAR nesta fase da Sul-Americana fez o SPFC ser roubado na cara-dura na Argentina. Não fosse isso, Brenner teria feito história marcando 3 gols nos argentinos. Continue assim, garoto, e você voltará ter o brilho de “matador” que tinha na Base.
 
 
BOLA MURCHA
  • PROF. PARDAL: O inventor é tão cara-de-pau que passa a semana inteira treinando aquela saída de bola nojenta e, na hora do jogo, fica reclamando dos jogadores que fazem o que ele treinou a semana toda nessa saída de bola ridícula. Pra piorar, insiste com o medíocre Tchê Tchê improvisado na lateral (é capaz do Prof. Pardal escalá-lo até como goleiro só para não deixá-lo de fora do time titular), não tira o arrogante Sr. Pagode de jeito nenhum (e dá-lhe passe errado e entrega de ouro pro adversário…) e sempre dá um jeito de colocar Pablo e Vitor Bueno, apesar da baixa qualidade técnica de ambos. A maioria dos jogadores até se esforça, mas enquanto não tirar esse treinador arrogante, presunçoso e teimoso, o SPFC nunca vai pode aspirar por nenhum título.