SPFC empata sem gols e jogadores ficam caindo como moscas idosas

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

SÃO PAULO 0 X 0 RED BULL
Local: estádio do Morumbi, em São Paul
Data: 24 de fevereiro de 2019, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistentes: Anderson de Moraes Coelho e Vitor Carmona Metestaine
Público: 10.391 pessoas
Renda: R$ R$ 355.422,00
Cartões amarelos: Pio, Osman e Léo Ortiz (Red Bull)
Cartões vermelhos: Gonzalo Carneiro (São Paulo)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Bruno Alves, Arboleda e Anderson Martins; Igor Vinicius, Luan, Helinho (Biro Biro) (Nenê) e Reinaldo (Léo); Antony, Pablo e Gonzalo Carneiro; Técnico: Vagner Mancini

RED BULL: Júlio César; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca (Romário); Jobson (Claudinho), Uillian Correira e Pio (Everton); Osman, Ytalo e Roberson; Técnico: Antônio Carlos Zago

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • TORCIDAS ORGANIZADAS: As torcidas fizeram seu protesto de maneira civilizada contra a administração que está levando o clube para o buraco por causa do planejamento amador do sr. Raí. E é o tipo de situação que a torcida tem que fazer a parte dela e pronto, pois se não protesta tem um monte de gente que acusa as torcidas de serem “compradas” (e alguns desses acusadores já estão recebendo as devidas notificações judiciais por “calúnia e difamação” por conta da contundências das acusações); e se protesta tem gente que acusa a torcida de jogar contra o clube, mas também não sai de trás do computador para fazer algo de prático pelo SPFC. Ser “hater” de internet não torna ninguém “mais” torcedor, viu. Nosso amor pelo SPFC é maior do que tudo, inclusive do que as pessoas que deram um show de incompetência no planejamento desta temporada. O recado foi dado.
  • ANTONY: No meio do show de mediocridade dos “veteranos” e de absoluta ineficiência dos recém-promovidos da Base, Antony é uma exceção. O garoto entrou em campo com a pequena Larissa (só pela força que dá para a princesinha ele já ganha nossa admiração), se machucou com 15 minutos de jogo, atuou o restante da partida quase no sacrifício e foi o melhor em campo ― mesmo tomando porrada o jogo inteiro dos adversários. O moleque tem personalidade e bom toque de bola, mas em vez de fazer firulas que nunca dão em nada (como Helinho faz), Antony sempre busca a continuação da jogada, sempre tenta criar uma situação para deixar um companheiro livre. O cara tem espírito de equipe, talento e personalidade, por isso, se não for estragado pelo ambiente insípido criado nos bastidores, vai se tornar o maior nome do time em 2019.
  • TIAGO VOLPI: Ele continua saindo estabanado, é fraco na saída da bola aérea, repõe a bola em jogo como se fosse um Curupira, porém, nesta partida ele fez 6 defesas muito difíceis que garantiram pelo menos um pontinho ao Tricolor. Na boa, se não fossem as defesas de Volpi, o SPFC teria sido goleado nesta partida. Não é nem de longe o goleiro que imaginávamos que seria, mas quando o cara tem uma boa atuação como esta, é preciso ser justo e elogiar.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • PLANEJAMENTO AMADOR: Com 18 minutos de bola rolando, o SPFC já havia ficado sem um jogador por se lesionar sozinho (Reinaldo, aos 10’ do primeiro tempo), outro que quase saiu por também sentir lesão (Antony, aos 14’) e outro expulso por não saber diferenciar a bola da canela dos outros (Carneiro, aos 18’). Ao longo da partida, vários jogadores sentiram dores e lesões, sendo que Biro Biro entrou no lugar de Helinho e saiu logo em seguida por se lesionar sozinho. Veja só essa situação: um time do porte do SPFC fica a semana inteira só treinando, não tem maratona de jogos, e os jogadores despencam como moscas idosas em campo com seguidas lesões. E não precisa nem lembrar que nas últimas 8 partidas a equipe fez apenas 2 gols, além de entrar e sair da Libertadores sem balançar as redes adversárias nenhuma vez sequer. Isso é só coincidência? Não, amigo, não é. Esse planejamento amador que jogou fora todo o mês de janeiro por causa de um torneio de marketing na Flórida está agora cobrando um preço alto do elenco: os jogadores não tiveram pré-temporada, Hernanes está há 2 meses no clube e não entra em forma e boa parte do elenco despenca em campo lesionando-se sozinho, muitas vezes sem sequer trombar com um adversário. Quando Raí assumiu o posto que tem atualmente, imaginava-se uma nova mentalidade para mudar os rumos do clube. O próprio Leco até se afastou dos holofotes e deu carta branca para Raí. E o que o sr. Raí fez? Compactuou com a palhaçada da Florida Cup, faz vista grossa para o oba-oba dos bastidores (é pra isso que serve a SPFCTV? Registrar o oba-oba dos refeitórios?), efetivou um técnico inexperiente que jogou a temporada no lixo, não se livrou das cobras-criadas que “agitam” os vestiários, mandou embora o técnico inexperiente, contratou um que não vem agora e efetivou outro que vai sair em 8 semanas. Se não houver uma ruptura profunda imediata e urgente, o SPFC vai outra vez brigar contra o rebaixamento no Brasileirão. E dessa vez pode perder essa briga.