SPFC empata sem gols com Sport com futebol medíocre e erros amadores

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

SÃO PAULO 0 X 0 SPORT
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: Segunda-feira, 26 de novembro de 2018
Horário: 20 horas (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Cristhian Passos (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Público: 15.235 torcedores
Renda: R$ 454.321,00
Cartão Amarelo: Reinaldo (São Paulo); Mateus Gonçalves, Jair e Matheus Peixoto (Sport)
Cartão Vermelho: Cláudio Winck (Sport)

SÃO PAULO: Jean; Araruna (Igor Gomes), Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Jucilei, Liziero e Nenê (Tréllez); Helinho (Antony), Everton e Diego Souza. Técnico: André Jardine
SPORT: Maílson; Cláudio Winck, Ernando, Adryelson e Raul Prata; Marcão (Deivid), Jair, Michel Bastos (Hernane Brocador), Gabriel e Mateus Gonçalves; Matheus Peixoto (Marlone). Técnico: Milton Mendes

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • TORCIDA SÃO-PAULINA: Segunda-feira à noite, trânsito infernal na cidade, e mesmo assim 15 mil heróis vão ao estádio para empurrar o time. Mas tudo o que vêem em campo é uma cambada de tiriça que não acerta cruzamento, não acerta passes de 5 metros, só toca bola pro lado e bate pênalti como se quisesse errar. Ao final, a torcida cantou em uníssono: “Ão, ão, ão, estou cansado de time amarelão”. Ser são-paulino hoje em dia é quase um ato de heroísmo.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • TODO MUNDO: O que essa cambada fica fazendo a semana inteira no CT? Na hora de um jogo decisivo, cuja vaga na fase de grupos da Libertadores significa inclusive um montante enorme de dinheiro, o que se vê em campo são erros de fundamento que não são cometidos nem em time de casado contra solteiro em churrasco de condomínio. E olha que eles estavam com 80% de posse de bola contra um time virtualmente rebaixado, que tem uma das piores defesas do campeonato! Helinho, a grande joia da Base depois do fiasco de Brenner, errou 100% de todos os cruzamentos que tentou fazer: todos mesmo, ele não acertou nenhum sequer (e olha que esse moleque é bom, sim!); Jucilei virou uma espécie de tiriça-mor, que ganha salário para errar passes; Nenê teve nos pés a chance de ouro, mas cobrou o pênalti de maneira ridícula, recuando para o goleiro; Araruna não deve ser jogador profissional de futebol, sério mesmo; Reinaldo desistiu de jogar futebol em setembro passado e não voltou mais; Diego Souza estava tão desinteressado que em duas oportunidades estava de costas para o lance quando recebeu a bola: ele não estava sequer se dando ao trabalho de acompanhar as jogadas; Arboleda avançava para o ataque, não sabia o que fazer com a bola e recuava de novo até perder a jogadas (fez isso quatro vezes). São erros básicos de fundamentos que jogador profissional não pode cometer, pois o que não falta é tempo para treinar. O problema é que parece que ficar jogando fut-mesa no CT é mais importante do que treinar ― e aí acontece o que vemos no SPFC hoje em dia: metade do elenco se machuca toda hora (estranho isso, não acha?) e a outra metade entra em campo com uma falta de empenho que chega a ser ofensiva… Na boa, se depender da performance nessa reta final do Brasileirão, pode mandar 80% desse elenco inteiro embora. É muita tiriça junto!