SPFC entrará com representação na CBF após roubalheira do clássico

Com muita polêmica, São Paulo e Palmeiras empataram por 0 a 0 neste sábado (31), no Morumbi. O Tricolor saiu na bronca com a arbitragem por conta de dois gols e um pênalti anulados.

Após a partida, Carlos Belmonte, diretor de futebol do São Paulo, detonou a arbitragem, afirmou que o VAR, no Brasil, traz insegurança aos árbitros e que não é utilizado de forma correta.

“Não estou nem um pouco feliz, não deve ser ocupado por dirigentes, mas por treinador e jogadores, que são as estrelas e fazem efetivamente a alegria dos torcedores. VAR deveria trazer segurança ao árbitro, mas traz insegurança. Deveria ser acessório para ajudar, mas no Brasil quer ser protagonista. Hoje o árbitro marca um pênalti a um metro de distância, de frente para o lance. O peso da mão do zagueiro nas costas do Marquinhos, segurando e derrubando o Marquinhos, a bola distante do jogador do Palmeiras.”

“Aí entra o VAR, de repente chama o árbitro de uma sala fechada, sem o som, sem nada da partida, e daí traz a insegurança para o árbitro, que perde a convicção, vai ao VAR e anula o lance, que a um metro ele marcou”.

“Eu defendo o VAR, é um avanço, mas não é usado da forma correta. É utilizado muitas vezes para tirar a responsabilidade de quem deve tê-la. É inconcebível que o árbitro, a um metro do lance, marque o pênalti e depois seja chamado para reanalisar o que já havia marcado. Depois, no segundo tempo, um gol contra. Nenhum jogador do Palmeiras faz sequer menção de reclamação, argumentação. Passava dos 40 minutos do 2º tempo. E novamente surge o VAR, com suas interpretações de futebol. O jogo não acontece em câmera lenta, e sim em uma velocidade única, que deve ser respeitada pelo VAR. O jogo não é naquela velocidade. Novamente o árbitro, por falta de convicção, anula. Vamos fazer uma representação na CBF”, continuou o dirigente.

“VAR já foi utilizado 7 vezes em jogos do São Paulo, 6 contra o São Paulo. Algumas vezes acertadas, outras absurdas como hoje. Não estamos nem um pouco contentes com a qualidade da arbitragem nos jogos do São Paulo. Quero aprabenizar a comissão e nossos jogadores, que fizeram uma grande partida, contra um grande adversário, líder do campeonato. Nossa parte, da diretoria, está satisfeita com o trabalho, mas é muito ruim quando o trabalho em campo é perdido pelo VAR. Resultado final: VAR 2 x 0 São Paulo”, finalizou.

No 1º tempo, Rigoni marcou para o São Paulo, mas seu gol foi anulado pelo VAR por impedimento. Acerto da arbitragem.

Um dos lances mais polêmicos da partida foi a anulação do pênalti marcado para o São Paulo no 1º tempo.

O árbitro Luiz Flávio de Oliveira inicialmente assinalou penalidade de Gustavo Gómez em cima de Marquinhos.

Após revisar o lance no VAR, ele mudou de ideia e cancelou a marcação, para revolta dos tricolores e alívio dos alviverdes.

O lance mais polêmico do Choque-Rei aconteceu já nos minutos finais do clássico, no Morumbi.

Após cruzamento de Reinaldo para a área, Patrick de Paula desviou, Gustavo Gómez resvalou e a bola morreu no fundo das redes de Weverton.

No entanto, o VAR pediu revisão, e Luiz Flávio de Oliveira viu interferência de Miranda (que estava impedido) na jogada, anulando o tento.

Fonte: ESPN