SPFC fica só empate com o Vasco: bateu o cansaço?

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 1 VASCO
Local: Estádio do Morumbi, São Paulo (SP)
Data e Horário: 22 de novembro de 2020, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Éder Alexandre (SC)
VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG
Cartões amarelos: Jadson, Pikachu, Lucas Santos e Andrey (Vasco); Brenner e Hernanes (São Paulo)
GOLS: VASCO: Cano, aos 18’ do 1º/T; SÃO PAULO: Luciano, aos 33’ do 1ºT

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran (Tchê Tchê, intervalo), Bruno Alves, Léo (Hernanes, aos 36’/2ºT) e Reinaldo; Luan (Vitor Bueno, intervalo), Gabriel Sara, Daniel Alves e Igor Gomes (Pablo, aos 27’/2ºT); Luciano e Brenner (Tréllez, aos 36’/2ºT). Técnico: Fernando Diniz.

VASCO: Lucão; Miranda, Jadson, Ricardo Graça; Pikachu, Marcos Jr, Léo Gil (Andrey, aos 49’/2ºT), Henrique (Neto Borges, aos 41’/2ºT); Vinícius (Lucas Santos, aos 27’/2ºT), Gustavo Torres (Juninho, aos 41’/2ºT) e Cano (Ygor Catatau, aos 49’/2ºT). Técnico: Ricardo Sá Pinto.

 

BOLA CHEIA

  • LUCIANO: Outra vez fez um golaço com finalização de primeira. Porém, em outros momentos do jogo parecia meio afobado demais, reclamava em demasia. Precisa ser mais equilibrado em campo. Mas de falta de empenho ninguém pode acusar o cara.

 

BOLA MURCHA

  • VITOR BUENO: A baixíssima qualidade técnica de Vitor Bueno é um troço que incomoda. Jogador ruim tem em todo time, mas a insistência de Fernando Diniz em colocá-lo no time é um troço inacreditável. Vitor Bueno se posiciona muito mal, erra passes demais, se atrapalha sozinho com a bola e sempre toca pro lado errado. Outra atuação medíocre para a infindável lista de atuações medíocres de Vitor Bueno.
  • TIAGO VOLPI: É um goleiraço, ninguém aqui vai cornetá-lo. Mas ele errou sim feio no gol do Vasco. O chute foi fraco, totalmente defensável, mas Volpi teve um milissegundo de branco e a bola passou entre seus dedos. É justificável esse tipo de erro na atual situação, pois a maratona de jogos é desumana para recuperar o tempo parado no auge da pandemia. É o cansaço pesa. Mas, ainda assim, foi um gol bobo demais para um goleiraço do nível de Volpi.

(por Demétrio Valente)