SPFC mostra empenho e empata com Santos na Várzea Belmiro

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 X 1 SÃO PAULO
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 16 de novembro de 2019, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira de Amaral (SP)
Público: 14.062 torcedores
Renda: R$ 602.192,50
GOLS: Carlos Sánchez, aos 7 do 1ºT (Santos); Daniel Alves, aos 8 do 2ºT (São Paulo)
Cartões amarelos: Felipe Jonatan (Santos); Pablo, Vitor Bueno e Bruno Alves (São Paulo)

SANTOS: Everson; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Alison (Jean Mota), Evandro (Tailson) e Carlos Sánchez; Felipe Jonatan (Diego Pituca), Sasha e Marinho; Técnico: Jorge Sampaoli

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Jucilei (Liziero); Daniel Alves (Gabriel Sara), Igor Gomes, Tchê Tchê e Vitor Bueno; Pablo; Técnico: Fernando Diniz

 

BOLA CHEIA

  • EMPENHO: Uma das coisas que a torcida mais reclama é quando o time entra em campo sem empenho, com aquela “tiriça” que chega a ser desrespeitosa para com a torcida que pagou ingresso e foi ao estádio. Nesta partida na Várzea Belmiro, não dá para reclamar de falta de empenho dos jogadores. O primeiro tempo foi fraco e a péssima atuação de Jucilei ficou evidente quando o time veio sem ele no intervalo: o segundo tempo foi muitíssimo melhor e o SPFC só não virou o jogo porque Pablo se esqueceu de vez como se finaliza a gol. Volpi outra vez fechou o gol, outra atuação monstra, mas Arboleda e Bruno Alves andaram batendo cabeça de uma maneira que não é comum para eles. No meio, até o morto-vivo Tchê Tchê atuou com mais intensidade, mais empenho, uma das poucas partidas em que ele não parecia querer tirar um cochilo no meio do jogo. E Dani Alves atua muito melhor sem Antony em campo, pois aparece mais livre para armar jogadas, entrar na diagonal e até marcar gol ― que foi o que aconteceu neste jogo. Enfim, o time está anos-luz de se tornar algo que empolgue o torcedor, mas pelo menos neste jogo vimos lampejos de empenho que podem render bons frutos lá na frente. Bem lá na frente.

 

BOLA MURCHA

  • JUCILEI: Ele foi dispensado do clube alguns meses atrás por causa das constantes péssimas atuações e salário altíssimo. Ninguém quis o cara e ele teve que voltar, já que o SPFC precisou continuar pagando salário. Fernando Diniz resolveu dar uma chance, mas basta um tempo de jogo para a gente lembrar porque ele foi dispensado alguns meses atrás: lento, lentíssimo, desengonçado, posiciona-se mal, passa pior ainda. Para você ter uma ideia, aos 7 minutos do primeiro tempo ele já tinha errado três passes de forma grosseira e os três se transformaram em contra-ataques do adversário. Em um deles, a jogada acabou em pênalti e gol do Santos. Diniz percebeu o erro de tê-lo escalado e colocou Liziero no intervalo do jogo, mudando completamente o panorama da partida. Jucilei é péssimo nos fundamentos e é um atraso de vida para o SPFC.

 

VÍDEO