SPFC perde a final pra galinhada, mas ganha nova cara pro Brasileiro

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

CORINTHIANS 2 X 1 SÃO PAULO
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 21 de abril de 2019, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Danilo Ricardo Simon e Marcelo Carvalho Van Gasse
Quarto árbitro: Douglas Marques das Flores; VAR: Thiago Duarte Peixoto; VAR 1: Emerson Augusto de Carvalho; VAR 2: Rodrigo Guarizo Ferreira
Cartões amarelos: Fagner, Ramiro e Clayson (COR); Reinaldo (SPFC)
GOLS: Corinthians: Danilo Avelar, aos 31 minutos do 1T, e Vagner Love, aos 44 minutos do 2T. São Paulo: Antony, aos 47 minutos do 1T

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique (Pedro Henrique) e Danilo Avelar; Ralf e Ramiro; Pedrinho (Vagner Love), Sornoza e Clayson; Gustagol (Boselli); Técnico: Fábio Carille

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Jucilei (Léo) e Igor Gomes; Antony, Everton Felipe (Hernanes) e Everton (Willian Farias); Técnico: Cuca

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • FIM DA CRISE: Algumas semanas atrás, no auge da crise, nosso medo era ser rebaixado. Hoje, o foco é reconstruir o time pro Brasileirão. A equipe jogou de igual para igual contra a galinhada dentro de Itaquera, mas no final acabou pesando a deficiência técnica do time tricolor e os erros nas escolhas de Cuca. Ainda assim, foi bom pra garotada ganhar experiência em um torneio de pouca importância e preparar o time para que ele seja competitivo no Brasileirão. Enfim, após 5 ou 6 anos, entramos em um Brasileirão com um time que promete ser mais competitivo.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • JUCILEI e EVERTON FELIPE: No primeiro tempo, enquanto Jucilei e Everton Felipe estiveram em campo, o SPFC jogou praticamente com apenas 9 jogadores. Jucilei parece uma tartaruga aleijada, atrasa todas as jogadas, só toca bola pro lado ou pra trás, mais uma atuação patética de um jogador que já deveria ter ido embora há muito tempo. O problema é se livrar dele: ninguém quer. E perceba que no lance do primeiro gol ele simplesmente abandona a marcação do adversário que faz o gol, deixando-o sozinho para marcar. Jucilei, você serve pra quê, afinal, hein? Já Everton Felipe é absolutamente ridículo como falso 9, falso 10, falso 11… Na verdade, parece ser um falso jogador de futebol, pois não consegue ser nem mediano mesmo nos fundamentos mais básicos do esporte, como acertar passes ou se posicionar para receber a bola. O SPFC precisa se livrar rapidamente desses troços para Cuca não ficar tendo “ideias” de usá-los nas partidas do Brasileirão.
  • REINALDO: Durante os 90 minutos, Reinaldo discutiu, esbravejou, gritou, brigou, reclamou, tomou cartão, cometeu um monte de faltas e ficou faltando muito pouco para ser expulso. Tecnicamente, não acertou nenhum cruzamento, fez uma lambança de jogador amador no lance que resultou no primeiro gol dos caras, não finalizou nenhuma jogada direito e não acertava os passes mais curtos. A pergunta que fica é: qual o custo-benefício de se ter em campo um cara que arruma tanta confusão e não joga nada? Na boa, ou Reinaldo faz um tratamento psicológico sério para atuar mais equilibrado em campo (aproveita e leva junto o Igor Gomes, que desapareceu em campo nos dois jogos da final e parecia completamente abalado desde o primeiro minuto de jogo) ou então é melhor mudar de profissão. Futebol não se ganha no grito, Reinaldo, aprenda isso de uma vez por todas.
  • TIAGO VOLPI: De cada 10 bolas que o goleiro são-paulino repunha, 11 ele errava. É impressionante como o cara não tem a capacidade de acertar nenhuma reposição. A situação se repete em todo jogo e parece que a comissão de futebol do clube não atenta para essa deficiência técnica grosseira do goleiro. Além disso, como sai mal, hein… Bola aérea na área é um terror. Debaixo das traves até que ele é bom goleiro sim, mas nesse quesito ele não é diferente do Sidão ou do Renan Ribeiro, por exemplo. Então, vamos falar a real: a rigor, Volpi é tecnicamente igualzinho a Sidão e Renan Ribeiro. Trocamos seis por meia-dúzia.
  • CUCA: Errou feio na escalação ao entrar com Jucilei e Everton Felipe como titulares. Um Saci-Pererê é mais eficiente em um jogo de futebol do que Jucilei; e Everton Felipe como falso 9 é uma piada à la Gregório Duvivier, ou seja: ninguém ri. Depois, ainda colocou o fraquíssimo Willian Farias para segurar o empate e tentar levar para os pênaltis: Cuca, o futebol castiga técnico retranqueiro, viu? Ninguém vai crucificar o cara em início de trabalho, mas que ele errou feio nesta final em Itaquera, ah, isso ele errou de novo.