SPFC perde pra Chapecoense: fim de ano melancólico com elenco apático

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

CHAPECOENSE 1 x 0 SÃO PAULO
Local: Arena Condá, Chapecó (SC)
Data/Horário: 2/12/2018, às 17h
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Público e renda: 19.992 torcedores / R$ 331.630,00
Cartões amarelos: Jean, Arboleda, Everton (SAO)
Gols: Leandro Pereira, aos 22’/2ºT (1-0)

CHAPECOENSE: Jandrei, Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Canteros (Elicarlos – 41’/2ºT) e Diego Torres (Bruno Silva – 23’/2ºT); Leandro Pereira (Osman – 40’/2ºT) e Wellington Paulista.
Técnico: Claudinei Oliveira.

SÃO PAULO: Jean, Araruna, Arboleda, Bruno Alves e Edimar (Shaylon – 24’/2ºT); Hudson, Liziero e Nenê (Igor Gomes – 24’/2ºT); Helinho, Everton e Diego Souza (Brenner – 40’/2ºT).
Técnico: André Jardine.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • NINGUÉM: Esse futebol medíocre, apático e desinteressado mostrado pelo time nas últimas partidas é apenas a ponta do iceberg do total desrespeito que diversos setores dentro e fora do futebol demonstram ter com o clube. Amigo, essa camisa entorta varal, essa camisa deixou Milan, Barça e Liverpool de joelhos em Mundiais no Japão. Mas hoje essa camisa que para nós é sagrada parece ser apenas trampolim para alguns “fazerem” sua vida financeira. E o SPFC hoje é time de meio de tabela ― nada além disso. Você olha pra campo e vê uma cambada de encostados que ganham salários milionários para ficar tocando bolinha pro lado e depois vir dar entrevista dizendo “É, não deu, agora é trabalhar e pensar na próxima temporada”… Muito passeio, muito fut-mesa, muita resenha com celular na mão sem prestar atenção no técnico, gente machucada toda semana, gente que não joga por “problema pessoal” e absoluta falta de empenho dentro de campo. É uma falta de respeito com a torcida, uma falta de respeito com o clube. Mas se quem tá no comando direto do elenco (alô, Raí!) acha isso “normal”, então pode esperar mais sofrimento para 2019, afinal, pelo andar da carruagem estaremos cheios de “reforços” vindos da Série B. Ninguém merece Bola Cheia em um fim de temporada tão melancólico com um time cheio de tiriças e sem nenhuma vergonha na cara.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • GOLEIRO-CANGURU: Foi preciso esperar a famosa “sequência que dá ritmo de jogo” para poder cravar sem medo de errar: Jean é pior do que Sidão. Os dois saem muito mal na bola aérea, os dois são péssimos na reposição de bola, os dois rebatem mal (a famosa “mão-de-alface”). Mas Sidão leva vantagem em um quesito: é mais maduro e controlado. Jean se joga em toda bola mesmo que ela vá muito longe do gol (por isso ganhou o apelido de Goleiro-Canguru), coisa absolutamente inútil que só serve para tirar foto. Porém, não tem muito controle emocional, foi expulso em jogo após o apito final e neste tomou amarelo por uma reclamação exagerada e infantil em um lance estúpido. E tomou um gol besta. Sinceramente, não dá nem para ter nenhum tipo de ambição para 2019 se não começar se livrando tanto de Sidão como de Jean. Tchau para os dois! São goleiros medíocres para times medianos.
  • HUDSON: Pipoqueiro, mascarado, reclamão. O que adianta fazer boas preleções no vestiário e não acertar um passe e ser um pipoqueiro clássico? O cara tira o pé de toda dividida. Aliás, de tanto fazer esse movimento de tirar o pé para não dividir a bola parece que desaprendeu como usar esse mesmo pé para dar um passe certo… Jogador medíocre.
  • HELINHO: Durante 90 minutos de jogo, Helinho recebeu dezenas de bolas para tentar alguma jogada. Acertou apenas um único passe. Incrível mesmo: em 90 minutos em campo, acertou um único e solitário passe. Errou todos os outros e perdeu todas as bolas que recebeu. Todas! Que o moleque é craque, a gente acompanha o Sub-20 e sabe que ele é mesmo (e que não venha nenhum Zé Mané dizer que a torcida quer “queimar” o cara), assim como Toró, por exemplo, que ainda não teve chance no time de cima. Mas será que Helinho tá pronto pra jogar no time principal? O garoto parece imaturo, confuso, nervoso, não consegue acertar jogada nenhuma. Nosso grande temor é que uma verdadeira joia da Base como Helinho acabe como Brenner: esquecido no banco. A nossa esperança é que Jardine consiga fazer o moleque jogar em 2019. Até aqui, porém, foi fraquíssimo.
  • ARBOLEDA: Um dia chegamos a chamá-lo de “Arbolenda”. Mas o futebolzinho medíocre que Arboleda apresenta hoje em dia está mais para “Arbolixo”. Chutes tortos, passes horrendos, péssimo posicionamento, bolas perdidas infantilmente, faltas desnecessárias: o futebol de Arboleda hoje em dia é digno de uma Série B… Da Colômbia! Cá entre nós, hoje Arboleda não tem futebol para jogar nem na Série B do Brasil.
  • NENÊ: Ele jogou? Sério mesmo, galera, o Nenê estava em campo? Ah, é verdade, estava sim, até perdeu um gol inacreditável antes de ser substituído…
  • DIEGO SOUZA: Deixou de ser o jogador decisivo de antes para ser o peso-morto de sempre. Até acreditamos que ainda pode render no SPFC em 2019 e nem merecia estar em uma lista de dispensa, mas precisa mudar radicalmente sua atitude em campo.
  • SHAYLON e BRENNER: Entraram e não fizeram a menor diferença. Como sempre.
  • ARARUNA: Não tem futebol para jogar no SPFC.
  • EDIMAR: Não tem futebol para jogar em time de Série A.
  • ARBITRAGEM: Terminou a temporada do jeito que começou: incompetente e arrogante. O gol da Chape foi feito com duplo impedimento, ambos escandalosos. Para o SPFC não mudou nada e nem o elenco em campo pareceu se importar com a derrota, porém, esse gol irregular da Chape influenciou diretamente no rebaixamento do Sport Recife. Hoje, foi o Sport, amanhã será quem? O VAR tinha que ser obrigatório em todo jogo, pois nossa arbitragem é absurdamente incompetente. Wilton Pereira Sampaio, você é péssimo e tecnicamente fraco!