SPFC rescinde contrato de Jean após agressão contra esposa

Horas depois da prisão do goleiro Jean nos EUA, acusado de agredir a esposa, o São Paulo decidiu pela rescisão de contrato do jogador – que era válido até dezembro de 2022.

A diretoria e os advogados do São Paulo querem o rompimento por justa causa, já que, segundo os dirigentes, Jean feriu a imagem e os valores do clube. O Tricolor também planeja publicar uma nota de repúdio às agressões. O goleiro foi contratado do Bahia no fim de 2017.

Jean agrediu a esposa Milena Bemfica com oito socos e foi algemado pela polícia, de acordo com a declaração de prisão registrada pelo Xerife do Condado de Orange, na Florida.

No registro, o policial responsável pela abordagem relata que Milena disse que os dois discutiram na madrugada desta quarta-feira no quarto do hotel onde estão hospedados em Orlando, e ela tentou acalmar Jean. Depois, os dois entraram no banheiro para discutir, mas uma das filhas quis ir para a cama.

Nesse momento, o documento, baseado no relato de Milena, aponta que Jean seguiu a esposa e a puxou para a cama, onde subiu em cima da mulher e deu três socos no rosto dela. Depois, segundo o registro, o goleiro acertou outros cinco golpes na esposa.

O documento também relata que Milena pegou uma chapinha de cabelo para se defender e com o objeto feriu Jean em ato de legítima defesa. A chapinha quebrou ao atingir a cabeça de Jean.

O registro tem tarjas em informações consideradas confidenciais – entre elas, todo o relato de Jean feito ao policial no local do crime.

O policial que atendeu a ocorrência encaminhou Jean para a penitenciária do Condado de Orange e não apresentou acusações contra Milena, por entender que ela agiu em legítima defesa.

Jean está preso nos Estados Unidos e sua ficha já aparece no sistema do Departamento de Correções do Condado de Orange, na Florida.”

Segundo o advogado brasileiro Alvaro Gubert, que atua no estado americano, em casos semelhantes a justiça americana determina um valor de fiança a ser pago pelo acusado. O valor geralmente varia de US$ 1,5 mil (cerca de R$ 6 mil) a US$ 5 mil (R$ 20 mil), segundo o advogado, a depender do pedido da promotoria, que leva em consideração o tipo de crime, a violência empregada e a condição econômica de quem está preso.

Uma vez paga a fiança, Jean poderá retornar ao Brasil. O processo será levado à frente – e isso independe de a vítima voltar atrás nas acusações. O goleiro poderá constituir advogado na Flórida para defendê-lo por procuração.

Advogada especializada em direito de imigração e professora doutora de direito nos Estados Unidos, a brasileira Flávia Santos Lloyd explicou que é provável que uma fiança seja estabelecida para Jean sair da prisão, pois ele é réu primário.

Neste momento, segundo Flávia, o caso está na esfera criminal. Dependendo da gravidade da acusação e dos códigos nos quais Jean for enquadrado, a imigração pode ou não entrar no caso, o que elevaria a questão para esfera federal.

– Nesse caso, a imigração pode mandar uma notificação de que há uma audiência. Se ele estiver em custódia criminal vai para a outra (de imigração). Caso tenha voltado ao Brasil, ele pode avisar ao juiz que já saiu do país (e um advogado seria o responsável por defendê-lo nos Estados Unidos) – disse a advogada Flávia Santos.

A condenação prevê pena de prisão, mas é comum que a pena seja convertida em prestação de serviços à comunidade – podendo, inclusive, ser cumprida no Brasil.

A prisão e ou condenação de Jean poderá afetar seu visto de turista nos Estados Unidos e é possível que o documento seja revogado.

Fonte: Globo Esporte