SPFC só empata com Palmeiras após 3 semanas de “preparação”

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 1 PALMEIRAS
Local: Estádio do Morumbi, São Paulo (RJ)
Data: Sábado, dia 13 de julho de 2019
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Público: 38.267 torcedores
Renda: 1.177.165,00
Cartões amarelos: Hudson, Raniel e Arboleda (SÃO PAULO); Antônio Carlos, Carlos Eduardo e Moisés (PALMEIRAS)

GOLS: SÃO PAULO: Pablo (9/1T), PALMEIRAS: Dudu (25/2T)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson; Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê e Hernanes (Igor Gomes); Antony, Alexandre Pato (Toró) e Pablo (Raniel); Técnico: Cuca

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Moisés e Gustavo Scarpa (Raphael Veiga); Zé Rafael (Carlos Eduardo), Dudu (Willian) e Deyverson; Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

BOLA CHEIA

  • PABLO: Depois de três meses parado por causa de lesão, fez um primeiro tempo impecável, correu muito, fez um golaço e… Se machucou de novo. Nem voltou pro segundo tempo e foi substituído por Raniel, que fez uma estreia totalmente apagada. Com uma semana inteira para se recuperar, Pablo tem tudo para enfim emplacar uma boa sequência no SPFC. Esperemos que não se machuque de novo, afinal, o Reffis do SPFC deve ser muito confortável, pois todo mundo que entra lá demora pra sair que é uma beleza…
  • TORCIDA: Com o frio da capital paulista e com poucas perspectivas de ver um futebol decente, ainda assim quase 40 mil pessoas no Morumbi para ver um belo primeiro tempo e um péssimo segundo tempo, que deixou a impressão de as três semanas da parada da Copa América não terem servido pra nada. Parabéns, torcida tricolor!
  • TIAGO VOLPI: Fez inúmeras defesas importantes, tomou um gol por falha individual e continua errando todas as reposições de bola. Sinceramente, a atuação de Volpi nesta partida foi 50% para Bola Cheia e 50% para Bola Murcha. Mas considerando as excepcionais defesas feitas neste jogo, preferimos ser otimistas e apostar que ele terá uma boa sequência no Brasileirão. Então, Bola Cheia pra ele.

 

BOLA MURCHA

  • TCHÊ TCHÊ: Lento, lerdo, apático, não consegue acertar passe algum, perde todas as bolas que recebe, foge de bola dividida (pipoqueiro clássico!) e conseguiu a façanha de entregar de bandeja pelo menos três contra-ataques por causa de lambanças individuais de jogadorzinho de várzea. Ninguém em sã consciência consegue entender como um jogadorzinho desse nível técnico medíocre consegue ser titular absoluto e intocável com Cuca. Será que seria assim com Mancini? Não, não seria.
  • PATO: Foi possivelmente a pior partida de Pato no SPFC. Completamente apático, desligado, foi substituído após entrar na área com a bola, parar como se tivesse dado um “branco” e entregar a bola nos pés do adversário. Sinceramente, se é para entrar desligado desse jeito, é melhor que fique “desligado” no banco de reservas.
  • RANIEL: Entrou no intervalo de jogo, substituindo o machucado Pablo. No primeiro lance, entrou cara a cara com o goleiro e chutou fraquinho, quase recuando pro adversário. E esse foi o único lance em que Raniel foi visto em campo: no resto do jogo, mal tocou na bola e só foi “visto” de novo no final ao tomar cartão amarelo ao confrontar um adversário empurrando e fazendo “marra”. Estreia fraquíssima de um jogador que era terceiro reserva no Cruzeiro e passa mais tempo no departamento médico do que jogando no gramado. Esperamos que tenha sido apenas uma primeira impressão ruim e que ele tenha boas atuações. Por enquanto, é só esperança mesmo.
  • CUCA: Por que diabos o péssimo Tchê Tchê é titular intocável e absoluto no esquema de Cuca, se ele é um completo inútil em campo? Por que Hernanes se cansa tão cedo e é substituído se o próprio Cuca já disse que ele estava 100% fisicamente? Por que insistir com o desequilibrado Hudson, se o cara só comete faltas o jogo inteiro, atrasa jogadas dando pancada desnecessária e também não demonstra futebol para ser titular? Por que diabos o time voltou pro segundo tempo completamente recuado, apático, medroso? Isso foi alguma “orientação tática” de Cuca no intervalo? Por que não dá uma bronca forte em Arboleda para ele parar de tantar subidas patéticas ao ataque, deixando a defesa sempre desprotegida?