SPFC sofre pra empatar com o Bahia em jogo patético no Morumbi

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 1 BAHIA
Data/Horário: 20/8/2020, às 20
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Daniel do Espirito Santo Parro (RJ)
Árbitro de vídeo: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Cartões amarelos: Vitor Bueno, Gabriel Sara (SAO); Gregore, Zeca (BAH)
Gols: Rossi, aos 20’/1ºT (0-1); Luciano, aos 40’/2ºT (1-1)

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinícius (Gonzalo Carneiro – 30’/2ºT), Arboleda, Bruno Alves (Léo – 38’/2ºT) e Reinaldo; Tchê Tchê (Helinho – 30’/2ºT), Liziero (Gabriel Sara – 14’/2ºT), Igor Gomes (Luciano – Intervalo) e Daniel Alves; Vitor Bueno e Pablo. Técnico: Fernando Diniz.

BAHIA: Douglas (Anderson – 22’/2ºT), João Pedro, Ernando, Juninho e Zeca; Gregore (Elton – 27’/2ºT), Ronaldo e Rodriguinho (Danielzinho – 18’/2ºT); Élber, Rossi (Alesson – 27’/2ºT) e Gilberto (Saldanha – 27’/2ºT). Técnico: Roger Machado.

 

BOLA CHEIA

  • TIAGO VOLPI: De novo? Sim, de novo. Fez uma defesaça no pênalti, salvando o SPFC de um vexame maior. Não dá pro cara fazer milagre todo jogo com Arbolerdo, Bruno Alves e Reinaldo batendo cabeça e errando a marcação o tempo inteiro. Ainda assim, Volpi salvou o time de um vexame maior.
  • LUCIANO: A gente atualmente está se contentando com muito pouco. O cara era reserva no Grêmio, chegou nesta semana ao SPFC, treinou uma vez, entrou no jogo e fez gol. Só isso já é suficiente pra ganhar Bola Cheia ― mesmo após um empate sofrido. Precisamos de gente que respeite esse que pra nós é um Manto Sagrado. E Luciano tinha essa característica no Fluminense e no Grêmio: o cara sempre respeita a camisa que veste, joga com raça. É lógico que ainda é ridiculamente cedo para avaliar o cara, mas começou com o pé direito e vamos torcer para que dê certo.

 

BOLA MURCHA

  • VITOR BUENO, TCHÊ TCHÊ, REINALDO, LIZIERO, IGOR GOMES, ARBOLERDO: Em um mundo ideal, Igor Gomes ia pra reserva e os outros cinco iam pro olho da rua. Reinaldo parece que não leva futebol a sério, joga como varzeano na base do chutão; Vitor Bueno é horroroso, patético, é inacreditável que um cara desses seja titular absoluto; Tchê Tchê é um morto-vivo que acerta muitos passes, desde que sejam feitos pra trás e a menos de 1 metro; Liziero é uma ex-joia que não vingou e vai acabar parando em um time da Série B; e o equatoriano palmeirense esqueceu de vez o futebol desde que vestiu aquela camisa imunda. Olhando essa cambada em campo, fica a indagação: por que a m… do treinador não mexe no time? Quando mexe, é pra encher de atacantes, mas sem meio-campo para municiá-los. Sabe aonde o SPFC estava na tabela antes dessa partida começar? Na Zona de Rebaixamento. É exatamente o mesmo lugar que estavam seus dois últimos clubes (Fluminense e Atlético-PR) quando esse Prof. Pardal foi demitido. Será que vamos pagar pra ver…?