SPFC vence a LDU no Morumbi e embola grupo da Libertadores

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 3 X 0 LDU
Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 11 de março de 2020, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Esteban Ostojich (Uruguai)
Assistentes: Nicolás Taran e Augustín Berisso (ambos do Uruguai)
Público: 39.107 pessoas; Renda: R$ 2.957.861,83
Gols: Reinaldo, aos 13 do 1ºT, Daniel Alves, aos 14 do 1ºT, Igor Gomes, aos 15 do 2ºT (São Paulo)
Cartões amarelos: Reinaldo, Juanfran, Pablo (São Paulo); Quintero, Guerra, Ayala, Valencia (LDU)
Cartão vermelho: Sornoza (LDU)

SÃO PAULO: Tiago Volpi (Lucas Perri); Juanfran, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes (Hernanes); Antony, Vitor Bueno (Pablo) e Pato.; Técnico: Fernando Diniz

LDU: Gabbarini; Quintero, Guerra, Rodríguez e Ayala; Valencia, Villarruel (Vega), Zunino (Billy Arce) e Caicedo; Borja Martínez (Aguirre) e Sornoz; Técnico: Pablo Repetto

 

BOLA CHEIA

  • ALEXANDRE PATO: É inacreditável mudança de postura e de comportamento de Alexandre Pato nesta temporada, hein! Se você prestar atenção na movimentação de Pato durante a partida, perceberá que ele deixou de ser aquele fominha desligado de 2019 para se tornar um jogador atuante, que o tempo inteiro busca posicionamento para oferecer opções de ataque. Nesta partida ele não fez o seu, mas ajudou na construção das jogadas e meteu um míssel no travessão no finalzinho do jogo, que seria um golaço. 
  • REINALDO: Correu demais, tomou muita pancada, ajudou na marcação, ofereceu opções de ataque, voltou para cobrir Vitor Bueno (que estava capenga, mas não queria sair de campo) e ainda fez um gol de pênalti do jeito que deve ser feito: cobrou uma bomba tão forte que se o goleiro fizer a defesa com a ponta dos dedos vai quebrar pelo menos uns dois dedos!

 

BOLA MURCHA

  • VITOR BUENO: Ao contrário do resto do time, que parecia muito ligado, Vitor Bueno estava disperso, lento, pipocando em divididas. Se ainda não estava 100% da lesão, deveria ser substituído logo, correto? Sim, mas quando o treinador se preparava para substituí-lo na primeira vez, ele disse que não precisava, que ia ficar. Aí o treinador amigão dos jogadores fez a vontade do atleta, deixou o cara capenga em campo, fazendo com que Reinaldo, Antony, Tchê Tchê e a defesa se desdobrassem para cobrir as falhas do cara. Ele estava tão desligado que tomou bronca até do Pato (acredite se quiser!) para ficar mais ligado no jogo ― no lance do último gol. 
  • PABLO: Entrou no final e nos poucos minutos que ficou em campo perdeu outro gol inacreditável (já não bastou aquele vexame no Peru?), errou passes e tomou cartão amarelo por uma falta estúpida que poderia até se transformar em expulsão. Amigão, se você não quer mais jogar no SPFC, pede pra ir embora de uma vez!