SPFC vence ABC com show de Luiz Araújo

SÃO PAULO 3 X 1 ABC
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 8/3/2017 – 19h30
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC); Auxiliares: Nadine Schramm Camara Bastos (SC) e Henrique Neu Riberio (SC)
Público/renda: 15.101 pagantes/R$ 363.740,00
Cartões amarelos: (SAO), Gegê e Jardel (ABC)
Gols: Luiz Araújo (27’/1ºT) (1-0), Luiz Araújo (4’/2ºT) (2-0), Márcio Passos (7’/2ºT) (2-1), Pratto (10’/2ºT) (3-1)
SÃO PAULO: Denis, Bruno, Breno, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; João Schmidt (Wellington, aos 27’/2ºT), Thiago Mendes e Cícero; Luiz Araújo (Neilton, aos 27’/2ºT), Cueva e Pratto (Wellington Nem, aos 20’/2ºT). Técnico: Rogério Ceni.
ABC: Edson, Levy, Oswaldo, Cleiton e Romano; Jardel (Jhonata, aos 18’/1º) (Dalberto, aos 34’/2ºT), Márcio Passos, Felipe Guedes e Gegê; Erivelton e Caio (Nando, aos 15’/2ºT). Técnico: Geninho.

LUIZ ARAÚJO: O que o futebol desse garoto cresceu com Rogério Ceni é um troço impressionante. A atuação dele nessa partida foi brilhante, impecável, irretocável, coisa de craque mesmo. Além dos dois gols, ele infernizou a defesa adversária e quase faz um gol de placa daqueles dignos de Raí no auge da forma. Com a saída dele e de Cueva, foi visível como o time perdeu muito poder de ataque.

CENI: Quem acompanhou as últimas quatro temporadas do SPFC chega a ficar emocionado com esse SPFC 2.0. Rogério Ceni mudou a cara do time, deu esquema de jogo, motivação, cobrança e tudo que foi completamente ignorado nos últimos anos pela diretoria e pelas comissões técnicas. E é justamente em uma partida contra um anti-time de futebol como esse tal de ABC que isso fica bem claro: mesmo ganhando, Ceni não abdicou do ataque a mandava o time partir pra cima. Na altura dos 40’ do segundo tempo, com os jogadores já cansados e a vitória garantida, Ceni estava lá aos berros pedindo pro time tocar a bola e atacar. Como não ficar feliz com o SPFC 2.0?

PRATTO: Mais um gol de cabeça, incontáveis passes perfeitos, movimentação muito inteligente e uma presença de área espetacular. Esse argentino joga demais!

JÚNIOR TAVARES: Outra vez destaque no ataque, na defesa, no meio, nos cruzamentos e nos passes. Ceni tem um olho clínico para dispensar um jogador de Seleção Chilena como Mena e decidir apostar em um garoto desconhecido como Júnior Tavares. O fato é que a cada partida Tavares se firma como titular absoluto.

LUTADORES DE RUA: Esse tal de ABC não parece um time de futebol. Na verdade, é um anti-time de futebol e mais parece uma turma de brigadores de rua. A gente sabe que os times dirigidos por Geninho sempre foram de bater muito, mas aqui parece que ele reuniu um monte de lutadores de rua, botou uniforme e mandou a campo pra dar porrada. Cueva e Luiz Araújo foram as principais vítimas e saíram de campo de tanto apanhar. Com apenas 13 minutos do primeiro tempo, o tal de Jardel já tinha entrado 3 vezes pra quebrar o Cueva, com entradas que mais pareciam golpes de briga de rua. Como o árbitro catarinense Bráulio Machado não reprimia a violência, eles seguiam batendo sem parar. Gegê e Márcio Passos, além do próprio Jardel, teriam recebido cartão vermelho de qualquer juiz realmente sério, pois não parecem ser jogadores de futebol profissional e sim entusiastas de MMA.

BRENO: Todos os testes que podiam ser feitos já foram feitos, mas agora é hora de constatar que Breno não tem ritmo para ser titular nem contra time de lutadores de rua. Ele é lento, confuso e se posiciona muito mal. O gol do ABC saiu em cima dele, que perdeu uma bola aérea para um cara com metade do tamanho dele. Se Maicon não pode jogar, que entre Lyanco ou até mesmo Lucão. OK, nem a gente mesmo acredita que tá dizendo isso… Mas qualquer coisa neste momento é melhor do que o Breno.

WELLINGTON NEM: Não dá pra dizer se foi só afobação ou ansiedade, mas Wellington Nem perdeu todas as bolas que disputou, errou todos os passes que tentou fazer e ainda perdeu um gol fácil. Veja bem, não estamos dizendo que ele perdeu muitas bolas e errou muitos passes, estamos dizendo que ele perdeu TODAS as bolas e errou TODOS os passes. Patético!

NEILTON: Quem contratou esse lixo?