SPFC vence Cruzeiro, mas sai da Copa do Brasil


CRUZEIRO 1 X 2 SÃO PAULO
Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data-Hora: 19/4/2017 – 19h30
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO)
Público/renda: 32.353 pagantes/R$ 1.105.377,00
Cartões amarelos: (CRU), Wesley, Rodrigo Caio e Júnior Tavares (SAO)
Gols: Pratto (14’/1ºT) (0-1), Thiago Neves (14’/2ºT) (1-1), Gilberto (33’/2ºT) (1-2)
CRUZEIRO: Rafael; Mayke (Henrique, aos 39’/2ºT), Léo, Manoel (Luis Caicedo, aos 11’/2ºT) e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral, Rafinha, Arrascaeta (Alisson, aos 36’/2ºT) e Thiago Neves; Rafael Sóbis. Técnico: Mano Menezes.
SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Bruno (Jucilei, aos 20’/2ºT), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; João Schmidt, Cícero (Gilberto, aos 21’/2ºT), Wesley e Cueva (Thomaz, aos 20’/2ºT); Morato e Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

 


PRATTO: Amigo, se o SPFC entrasse em campo com 2 ou 3 Lucas Prattos, podia jogar de igual contra qualquer time europeu. Sério mesmo! O argentino não tem apenas muita raça e absoluto comprometimento dentro de campo, ele também é muito inteligente, passa as bolas com rapidez e precisão, cabeceia como poucos e, sim, faz toda diferença no ataque são-paulino. Pratto fez um gol de centroavante clássico e não parou de brigar pela bola até o último segundo de jogo.

GILBERTO: Se ele tivesse entrado como titular junto com Pratto, talvez o resultado fosse outro. Entrou no final, mas mesmo assim marcou seu gol. O cara tem raça de sobra e faro de gol.

MORATO: Uma grata surpresa a estreia desse garoto. Fez um excelente primeiro tempo, mas cansou e sentiu um pouco o desentrosamento na segunda etapa. Ainda assim, deu uma nova vida à lateral do campo, sempre buscando jogadas, imprimindo velocidade e encarando de frente os adversários que tentavam initimidá-lo, como o tal Rafael Sórbis. A primeira impressão foi a melhor possível.

RENAN RIBEIRO: Duas defesaças típicas de goleiro de nível internacional foram suficientes pra garantir que o Cruzeiro não marcasse mais gols. Depois de um ano inteiro em que estamos pedindo aqui no site Renan como titular, parece que finalmente ele se firmou na posição. Goleiraço!

 


CUEVA: Teve tanto nhe-nhe-nhém sobre “cuevadependência” mas esta partida deixou uma coisa bem clara: Cueva faz partidaças contra times medianos em meio de campeonato e desaparece em campo em jogo decisivo contra time mais forte. A atuação de Cueva nessa partida foi tão ridícula que Ceni colocou Thomaz no lugar dele e o time melhorou 200%. E se você prestar bem atenção, Cueva pipocou em diversos lances, do tipo que tirou o pé na cara dura pra não dividir a bola. Pois é, amigo, além de errar todos os passes e não conseguir fazer nenhuma jogada, Cueva mostrou um lado pipoqueiro que não sabíamos existir. Não tem outra palavra: pipoqueiro!

RODRIGO CAIO: Depois de ajudar um gambá na outra partida (aliás, o mesmo gambá que em jogo anterior fez exatamente o contrário do tal “fair play”), Rodrigo Caio “elegeu” esta partida em BH pra fazer lambanças. Além de errar muito na marcação e no posicionameto, foi responsável direto pelo gol do Cruzeiro, ao dar uma furada de jogador amador (depois de uma bola perdida de forma ridícula por Cueva!) e cometer uma falta patética que resultou em gol dos caras. Duas partidas seguidas prejudicando o time já causou climão nos vestiários com ele. Isso é fato. E a tendência agora é piorar.