SPFC vence de novo o Ituano e está na semifinal do Paulista

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

ITUANO 0 X 1 SÃO PAULO
Local: estádio Novelli Júnior, em Itu (SP)
Data: 27 de março de 2018, quarta-feira
Horário: 18h15 (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Bruno Salgado Rizo
Público: 9.028 pagantes
Renda: R$ 353.630,00
Cartão Amarelo: Morato e Gui Mendes (Ituano); Everton Felipe, Pablo e Antony (São Paulo)
Gol: SÃO PAULO: Liziero, aos 26 minutos do 2º tempo

ITUANO: Pegorari; Jonas, Ricardo Silva, Léo Santos e Peri; Baralhas, Corrêa (Marcelinho) e Bassani (Gui Mendes); Ramon (Guilherme), Morato e Martinelli.; Técnico: Vinicius Bergantin

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo (Léo); Luan, Liziero (Jucilei) e Igor Gomes; Antony, Pablo e Everton Felipe (Helinho); Técnico: Vagner Mancini

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • LIZIERO: Apesar de ainda não estar 100% depois de mais de um mês se recuperando de lesão, o garoto entrou com fome monstruosa nessa partida: armou, desarmou, simplesmente não errou passes e ainda fez o gol da vitória. Na verdade, Liziero fez tudo aquilo que se espera de Hernanes: foi uma atuação irretocável. Saiu de campo exausto ao ser substituído, mas ovacionado pela torcida.
  • ANTONY: Claro que ainda se precipita em algumas jogadas, porém, no geral, esse moleque é o verdadeiro motor do ataque do SPFC. O segredo de Antony não está apenas em sua velocidade e nos seus dribles desconcertantes, mas na sua confiança, na sua personalidade: o moleque não tem medo de errar, não se acanhou no meio da crise, é um gigante em campo. A jogada do gol foi 50% dele.
  • MANCINI: Outra vez temos que tirar o chapéu para o treinador. Além de apostar na garotada e dar confiança para eles no meio da pior crise, Mancini literalmente colocou o time para correr junto com os 4 Cavaleiros do Apocalipse (Liziero, Igor Gomes, Luan e Antony) e o resultado está aí: duas vitórias sobre o surpreendente Ituano, levando o SPFC às semifinais do Paulistão. É a zebra dessas semis, sim senhor, mas chegou mais longe do que imáginavamos, especialmente quando se tem a mídia inteira torcendo contra ― principalmente aquele merdinha de apresentador chamado Neto (não conhece? Nem precisa: o programa dele é “traço” de audiência!). O fato é que, diante do quadro na qual o time se encontrava algumas semanas atrás, Mancini foi o grande maestro dessa mudança de maré. Talvez não fosse o técnico ideal para encarar um Brasileirão, por exemplo, mas no auge da crise o cara teve uma conduta exemplar como profissional.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • NINGUÉM: Quem viu o SPFC algumas semanas atrás e vê agora… Sinceramente, não seria justo dar Bola Murcha pra alguém. É lógico que a gente ainda se irrita com as lambanças e os chutes sem rumo do Reinaldo (será que ele tá treinando pra ser kicker de futebol americano?), os persistentes passes errados de Anderson Martins e as atrapalhadas saídas de Tiago Volpi. Porém, o time inteiro atuou com garra, seriedade, competitividade. Então é Bola Cheia pra todo mundo.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]VÍDEO[/perfectpullquote]