SPFC vence Goiás e assume a liderança do Brasileirão

 

FICHA TÉCNICA

GOIÁS 0 X 3 SÃO PAULO

Local: Estádio da Serrinha, em Goiânia (GO)
Data e horário: 03 de dezembro de 2020, às 19h (de Brasília)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Jean Marcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Gols: 0-1 Igor Gomes (19’/1T), 0-2 Brenner (03’2T), 0-3 Hernanes (37’2°T)
Cartões amarelos: Iago Mendonça, Rodrigues e Keko (Goiás)

GOIÁS: Tadeu; Ratinho, Fabio Sanches (Rafael Moura, Intervalo), Iago Mendonça, Heron, Rodrigues; Ariel Cabral (Henrique Lordelo, aos 05’2ºT), Breno (Pedro Marinho, Intervalo), Gustavo Blanco; Keko (Daniel Silva, aos 33’2ºT) e Fernandão. Técnico: Augusto César.
SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran (Igor Vinicius, aos 33’2ºT), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara (Tchê Tchê, aos 27’2ºT) e Igor Gomes (Vitor Bueno, aos 27’2ºT); Luciano (Hernanes, aos 33’2ºT) e Brenner (Pablo, aos 33’2ºT). Técnico: Fernando Diniz.

 

BOLA CHEIA

  • EMPENHO GERAL: Um bom craque ganha jogo, um bom coletivo ganha título. Ao contrário das últimas vezes em que o SPFC enfrentou lanternas, o que se viu em campo contra o Goiás foi um time com pensamento “coletivo”, empenhado, que brigava por todas as bolas e dava carrinho quando eram 46’ do segundo tempo e o placar já estava 3×0. É o que sempre dizemos: ninguém critica um time que perde lutando, jogando com empenho. E disso não podemos reclamar: com obediência tática, seriedade e empenho, o SPFC construiu um placar tranquilo ― que é o que se espera quando o líder enfrenta o esfacelado lanterna do campeonato.

 

BOLA MURCHA

  • NINGUÉM: Há dois meses sem perder, o SPFC venceu com tranquilidade, subiu para o primeiro lugar do Brasileirão jogando bem. Até dá vontade de mandar um Bola Murcha para as fracas atuações de Juanfran e Vitor Bueno, mas seria injusto apontar erros individuais pontuais quando o coletivo está funcionando tão bem.

(por Demétrio Valente)