SPFC vence no Morumbi depois de dois meses

chavez160911SÃO PAULO 3×1 FIGUEIRENSE
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 11 de setembro de 2016 (Domingo), Horário: 11h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA-FIFA); Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Helcio Araujo Neves (PA-CBF-1)
Cartões amarelos: SÃO PAULO: Thiago Mendes, Kelvin. FIGUEIRENSE: Dodô, Jefferson.
Público: 27.365 pessoas; Renda: R$ 688.491,00
GOLS: SÃO PAULO: Andres Chavez, aos 30 do 1T; Cueva, aos 20, e Kelvin, aos 27 do 2T. FIGUEIRENSE: Carlos Alberto, aos 41 do 2T.
SÃO PAULO: Denis; Julio Buffarini, Maicon, Lyanco e Matheus Reis; Hudson, Thiago Mendes, Wesley e Cueva (Daniel); Kelvin (Robson) e Andres Chavez. Técnico: Ricardo Gomes
FIGUEIRENSE: Gatito Fernández; Ayrton, Bruno Alves, Werley e Marquinhos Pedroso; Jackson Caucaia, Ferrugem (Rafael Silva), Jefferson, Carlos Alberto e Lins (Emem); Dodô (Elvis). Técnico: Tuca Guimarães


CUEVA & CHAVEZ: Os gringos matadores continuam sendo o sopro de esperança da torcida. O peruano e o argentino continuam atuando com raça, seriedade, que é tudo o que a torcida pede ao elenco. Cueva é talentoso, Chavez é brigador, é uma espécie de Serginho Chulapa argentino: um trombador que sabe fazer gol e ainda deu a assistência pro gol de Kelvin. Enquanto os migués do elenco só ficam de mimimi e nhenhenhém, os gringos metem a bola pro fundo das redes.
KELVIN: Está voltando a ser aquele Kelvin que tanto elogiamos no primeiro semestre. E o cara se dá bem com os gringos: fez uma boa dupla com Buffarini e com Chavez, pra quem deu uma assitência e recebeu outra – e ambas resultaram em gols.
DENIS: Não é um goleiraço de primeira linha, todos sabemos, mas está se esforçando e isso precisa sim ser reconhecido. Fez boas defesas, teve o nome gritado pela torcida e como dificilmente teremos de fato um outro goleiro no time titular, vamos torcer para que ele não volte a ser o “mão-de-alface” de alguns meses atrás.


LARANJAS PODRES: Quando as coisas desandam desse modo absurdo que está o SPFC atual lutando para não entrar na Zona de Rebaixamento, não precisa ir muito longe para encontrar sempre aquelas laranjas podres que contaminam o elenco. Você lembra das “laranjas podres” do Nelsinho em 2001? Pois é, temos agora nossa versão 2016 com Michel Bastos, Carlinhos e Wesley. Marco Aurélio Cunha já identificou isso na hora que voltou ao clube, dois dias atrás: são os caras que reclamam demais, reclamam pelos cantos, reclamam de tudo, não jogam porcaria nenhuma, não se empenham em campo e colocam a culpa nos outros. Dá pra acreditar que Wesley tem o maior salário do elenco e ganhava mais do que o Ganso? Pois essa é a hora de cortar o mal pela raiz, se livrar das laranjas podres porque na hora do desespero tem que estar todo mundo 100% empenhado, sem elos fracos que prejudiquem a arrancada para fugir da parte debaixo da tabela. É hora de começar a planejar desde já 2017, pois estamos cansados de entrar em campeonatos pensando em não cair. SPFC é grande demais para ficar refém de intrigas políticas internas e laranjas podres no elenco. E não podemos nos empolgar com esse placar sobre o Figueirense, afinal, foram apenas duas vitórias nos últimos 11 jogos – e ambas contra times que serão rebaixados.