SPFC vence o Goiás fora de casa e assume a liderança do Brasileiro

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]FICHA TÉCNICA[/perfectpullquote]

GOIÁS 1 X 2 SÃO PAULO
Data/Horário: 1/5/2019, às 21h30
Local: Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Árbitro: Rafael Traci (SC) – Nota LANCE!: 6,5 – Acertou ao validar gol do Goiás, mas demorou muito com o VAR. A expulsão de Igor Vinícius foi questionável
Assistentes: Kleber Lucio Gil (SC) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Árbitro de vídeo: Braulio da Silva Machado (SC)
Cartões amarelos: Kayke, Leandro Barcia e Júnior Brandão (GOI); Reinaldo e Anderson Martins (SAO)
Cartão vermelho: Igor Vinícius (SAO)
Público e renda: 27.715 pagantes; R$ 728.730,00
Gols: Alexandre Pato, 31’/1°T (0-1); Toró, 35’/1°T (0-2) e Leandro Barcia, 47’/1°T (1-2)

GOIÁS: Tadeu, Kevin (Daniel Guedes, intervalo), Yago, David Duarte e Jeferson (Marcelo Hermes, 4’/2°T); Geovane, Léo Sena e Giovanni Augusto (Júnior Brandão, 33’/2°T); Michael, Kayke e Leandro Barcia. Técnico: Claudinei Oliveira.

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinícius, Arboleda (Anderson Martins, 44’/1°T) Bruno Alves e Reinaldo; Hudson e Tchê Tchê; Antony, Everton e Alexandre Pato (Hernanes, 27’/2°T); Toró (Brenner, 33’/2°T). Técnico: Cuca.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA CHEIA[/perfectpullquote]

  • PATO: Sinceramente, nem o mais otimista dos são-paulinos esperava que Alexandre Pato voltasse em tão alto nível ― especialmente se considerarmos que ele estava na China e não jogava a um bom par de meses. Atuando um pouco mais “caído” pela diagonal como ele gosta, o cara não apenas fez seu primeiro gol no retorno ao clube, mas também teve uma atuação praticamente irrepreensível, com jogadas de efeito efetivas, bons passes e excelente posicionamento em campo. Pato só saiu no final porque estava exausto, mas, sinceramente, se mantiver esse nível de produtividade, tem tudo para ter uma segunda passagem pelo SPFC ainda melhor do que foi a primeira.
  • TORÓ: Tem Zé Mané em rede social que acha que foi exagero os elogios dados a Toró porque ele jogou pouco na sua estreia: “Ainnn, o cara só jogou 20 minutos e já tão falando isso tudo…?” Bom, mas o que esse tipo de Zé Mané não sabe é que a gente sempre acompanha o futebol de base do clube e faz um ano e meio que pedíamos uma chance ao garoto no time principal. Pois Cuca colocou Toró como titular e o moleque não apenas correspondeu como também foi um dos melhores em campo ao lado de Pato e ainda fez um golaço de craque veterano. Toró é voluntarioso, não pipoca em dividida, toca de primeira com inteligência, tem personalidade e se desloca muito bem. É mais um nome da geração revelada na Base (valeu, Jardine!) que ainda vai render muitos frutos ao Tricolor. E não é coincidência que o time despencou de produção depois que Pato e Toró precisaram ser substituídos, né? E pensar que o Raí queria mandar o moleque embora pra jogar na Chapecoense…
  • ANTONY: Apanhou o jogou inteiro, não se intimidou, não pipocou e fez muitas tabelas com Pato e Toró. Esses três aí ainda vão dar muitas alegrias pra torcida nesta temporada, hein…
  • CUCA: Mudou o posicionamento de Pato para onde ele rende melhor, apostou em Toró como titular depois de ter impedido que Raí o negociasse com a Chapecoense, colocou os jogadores de frente em rodízio de posicionamento para confundir a defesa adversária. Só com essas três atitudes, Cuca já deu outra cara ao SPFC, deixando-o mais competitivo em uma temporada que tinha tudo para ser um enorme vexame depois do trabalho desastroso de André Jardine com o time principal. Se Raí segurar as pontas e bancar o cara quando os resultados ruins vierem (e resultados ruins virão porque isso é natural e absolutamente normal!), Cuca pode ter sim vida longa no SPFC.

 

[perfectpullquote align=”full” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]BOLA MURCHA[/perfectpullquote]

  • TIAGO VOLPI: Tomamos outro gol com bola rebatida de forma errada por Volpi, que mais uma vez errou 11 de cada 10 tentativas de reposição de bola que tentava. Volpi não é mau goleiro, é até bem competente debaixo do gol, mas é fraco nas saídas de bola, ruim nas bolas aéreas e péssimo na reposição. Alguém precisa ajudar esse cara a corrigir isso urgentemente.
  • HUDSON: Despencou de produção jogando no meio e uma firula ridícula aos 46’ do segundo tempo resultou em contra-ataque rápido do Goiás que quase custou os 3 pontos ao SPFC. Assim que o juiz encerrou o jogo, Cuca foi direto até ele e deu uma bronca homérica pela lambança desnecessária. Cuca, pelo amor de Deus, coloca o cara de volta à lateral, vai…
  • IGOR VINÍCIUS: Deu um carrinho por trás na entrada da grande área aos 47’ do segundo tempo, o que causou sua expulsão. De quebra, deu de bandeja para o adversário um “quase” pênalti que por pouco não custou os 3 pontos. Complicado, hein…