SPFC vence os galináceos com gol-míssil de Kingnaldo

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO X CORINTHIANS
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data-Hora: 13/10/2019 – 18h
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP) Nota L!: 7,0 Deixou o jogo correr e controlou bem a partida.
Assistentes: Émerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse (ambos de SP)
Árbitro de vídeo: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes de árbitro de vídeo: Vinicius Gonçalves Dias de Araújo e Fabrício Porfírio de Moura (ambos de SP)
Público/renda: 37.561 pessoas/ Renda: R$ 1.865.626,00
Cartão amarelo: Gustavo (Corinthians)

SÃO PAULO: Tiago Volpi, Igor Vinicius, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan (Hudson 43’2ºT); Tchê Tchê, Hernanes (Igor Gomes 21’2ºT) , Liziero e Vitor Bueno (Gabriel Sara 37’2ºT) ; Alexandre Pato. Técnico: Fernando Diniz

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel, Matheus Jesus (Gustavo 33’2ºT) e Mateus Vital; Vagner Love (Régis 24’2ºT) , Mauro Boselli e Clayson (Janderson 13′ 2ºT). Técnico: Fábio Carille

 

BOLA CHEIA

  • REINALDO: Todo mundo sabe que o cara é são-paulino e aquele vídeo clássico da época que o cara jogava na Penapolense já dizia tudo. E aparentemente isso se reflete um pouco no empenho com que Reinaldo joga, especialmente quando enfrenta os Galináceos de Itaquera. Aliás, é em partidas contra esse amontoado de galináceos que o cara encarna de vez seu alter-ego Kingnaldo. No primeiro tempo, enquanto o time inteiro parecia dormir em campo, Kingnaldo brigava por todas as bolas, brigava com os próprios jogadores (ele pedia toda hora pro time não afunilar as jogadas pelo meio), finalizou uma bola na trave, finalizou outra no Shopping Butantã, mas em nenhum momento alguém pode acusar o cara de apatia. No segundo tempo, cobrou o pênalti do jeito que faz melhor: um míssil indefensável contra o Filhote de Dentista. Foi o melhor em campo mais pelo seu empenho e pela sua raça do que pela técnica propriamente dita. Mas fez o gol da vitória. Parabéns, Kingnaldo!

 

BOLA MURCHA

  • TCHÊ TCHÊ: Zero passes certos; Zero finalizações; Zero cruzamentos certos; Zero posicionamento efetivo; Zero empenho; Zero tudo. É inacreditável que um jogador com essa qualidade técnica medíocre seja titular absoluto. A ineficiência técnica de Tchê Tchê em campo é assustadora. Será que Fernando Diniz vai conseguir arrancar alguma coisa de Tchê Tchê? Se conseguir, só por esse fato a contratação dele como treinador já terá valido a pena.

 

VÍDEO