Time que mais cria no Paulistão, SPFC quer converter 20% das chances

Com 100 finalizações, o São Paulo é a equipe que mais cria chances de gols até a quinta rodada do Campeonato Paulista. Essas oportunidades, porém, não vêm sendo bem aproveitadas.

Nos 100 chutes, o Tricolor fez apenas seis gols, o que representa um aproveitamento de 6% das chances criadas. A meta do técnico Fernando Diniz, de acordo com Hernanes, é que esse número chegue a 20%.

É a proposta de jogo, a estratégia que o Diniz tem, que a gente tem, de controlar o jogo e ser uma equipe ofensiva. Como em toda estratégia, tem o ponto forte e o ponto fraco. Ele tem trabalhado junto com a gente para corrigir isso.”

– A gente tem tentado, e ele mais do que a gente, com essa situação que não é só de agora (na carreira dele), tem tentado encontrar a solução para que suas equipes convertam pelo menos 20% das chances – afirmou Hernanes após a derrota para o Santo André, no último domingo.

A falta de gols foi um dos grandes problemas do São Paulo no ano passado, quando terminou a temporada com a pior média de gols marcados na história do clube. As lesões dos atacantes foram um dos principais pontos citados para explicar a situação.

Neste ano, porém, todos os atacantes estão à disposição do treinador, mas o problema persiste. Pablo, por exemplo, é o jogador que mais tem finalizações no Paulistão (são 20 ao todo), mas marcou apenas um gol até aqui. Daniel Alves é o segundo no quesito, com 17 finalizações, e tem dois gols no torneio.

Para Hernanes, uma das principais dificuldades neste início de temporada está sendo sair à frente no placar. Como o time geralmente leva o gol primeiro – foi assim em três dos cinco jogos disputados – o estilo de jogo não consegue ser implementado com perfeição.

– As outras equipes já sabem, eles vão marcar lá atrás. Se a gente conseguir um gol inicial, eles vêm para cima e o jogo fica bom para a gente. Mas a gente não está conseguindo fazer e está tomando, então eles ficam mais retrancados. Temos que encontrar a solução o mais rápido possível e caprichar um pouquinho mais. Na verdade, não é nem caprichar. Eu chutei, bateu na mão do cara, bateu na trave, passou em cima da linha, enfim. Quero acreditar que falta só o “start” para a gente começar a transformar em gols as chances criadas – disse Hernanes.

Fonte: Globo Esporte